PUBLICIDADE

Stocco aciona MP por abandono da UBS Antônio Saliba

Ministério Público abriu notícia de fato para apurar reconstrução da unidade

Ministério Público abriu notícia de fato para apurar reconstrução da unidade
Ministério Público abriu notícia de fato para apurar reconstrução da unidade -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O vereador Geraldo Stocco Filho (PV) acionou o Ministério Público do Paraná para que o órgão apure a possibilidade de reconstrução da Unidade de Saúde Antônio Saliba, em Ponta Grossa. O ofício n° 78/22 foi enviado após os depoimentos do engenheiro responsável pela Fundação Municipal de Saúde e da subsecretária, durante oitiva na “CPI da Saúde”, no dia 20 de julho, na Câmara Municipal. O MP-PR, por sua vez, abriu uma notícia de fato n° 0113.22.003614-0 para investigar o caso. 

De acordo com o ofício enviado pelo parlamentar, a UBS Antônio Saliba teve parte do telhado danificado por vendavais na última semana de 2020, comprometendo o atendimento de pacientes na unidade, que atendia aproximadamente 7 mil pessoas. Em seguida, a unidade também sofreu furtos de equipamentos, fazendo com que os atendimentos fossem deslocados para a UBS Sharise Arruda, cerca de 3km de distância da Antônio Saliba.  

Em oitiva realizada pela “CPI da Saúde”, no dia 20 de julho, na Câmara Municipal de Ponta Grossa, o engenheiro responsável pela Fundação Municipal de Saúde e a subsecretária, relataram que a Prefeitura pretende reconstruir o prédio - informação confirmada pela prefeita Elizabeth Schmidt em vídeo publicado em seu perfil no Instagram, no dia 26 de julho . Questionado sobre a possibilidade apenas da execução dos reparos, à época dos fatos, o engenheiro relatou que era possível realizar o conserto das partes danificadas, sem a necessidade de reconstrução da estrutura. 

Para Stocco, faltou planejamento por parte da Prefeitura.“O que podemos notar, é que depois de 19 meses a Prefeitura realmente abandonou a Unidade de Saúde Antônio Saliba, pois ao invés de arrumar o pequeno reparo e reforçar a segurança para que mais de 4 mil famílias da região pudessem continuar sendo atendidas, a gestão não fez nada pela Unidade. Não agiram rapidamente e com isso, o patrimônio público foi furtado e deteriorado. Respeitamos a independência dos poderes e a tomada de decisão por parte do Poder Executivo em querer construir uma Unidade de Saúde nova. Mas como parlamentar tenho o dever de fiscalizar as ações do Poder Executivo que possam ser lesivas à sociedade”, destaca o parlamentar. 

Diante dos relatos apontados durante as oitivas na “CPI da Saúde”, narrados no ofício, Stocco pede que o Ministério Público apure os fatos para a possibilidade de um eventual caso de improbidade administrativa.  

Conteúdo de marca

Quero divulgar right