Prefeitura de PG avalia pedidos realizados por mães

Manifestantes criticaram o Poder Executivo e afirmaram que “as crianças pedem socorro”; Prefeitura responde ato.

Participantes protestaram com cartazes criticando o Poder Executivo.
Participantes protestaram com cartazes criticando o Poder Executivo. -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Manifestantes criticaram o Poder Executivo e afirmaram que “as crianças pedem socorro”; Prefeitura responde ato

Mães ponta-grossenses protestaram na última terça-feira (23), na Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), solicitando que o Pronto Atendimento Infantil (PAI) retorne para o Hospital Universitário Materno Infantil (Humai-UEPG) – ele foi direcionado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Paula. Com cartazes, as manifestantes criticaram a prefeita da cidade, Elizabeth Silveira Schmidt (PSD), e o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Ponta Grossa, Rodrigo Daniel Manjabosco.

Sobre o protesto, o Grupo aRede entrou em contato com o Poder Executivo, solicitando um posicionamento a respeito das solicitações das mães ponta-grossenses. Por meio de sua assessoria de imprensa, a PMPG afirmou que se reuniu com representantes do Conselho Municipal de Saúde, na última terça-feira (23), e apresentou “medidas que vêm sendo tomadas com vistas à ampliação dos atendimentos” nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Além disso, a Prefeitura destaca que tem estudado ações para a ampliação dos atendimentos e “melhoria da estrutura atual dos espaços”. Por fim, o Executivo orienta que as pessoas busquem, nos casos de baixa complexidade, as UBS de Ponta Grossa. Sobre atender à solicitação dos manifestantes, para que o PAI retorne ao Humai-UEPG, a PMPG não deu nenhuma resposta.

Mais informações sobre a mudança no Pronto Atendimento Infantil clicando aqui.