Stocco pede cassação de Felipe Passos por quebra de decoro

Parlamentar publicou nota nas redes sociais em que ressalta que crime de ‘rachadinha’ representa quebra do decoro parlamentar

Imagem ilustrativa da imagem Stocco pede cassação de Felipe Passos por quebra de decoro
-

Afonso Verner

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Parlamentar publicou nota nas redes sociais em que ressalta que crime de ‘rachadinha’ representa quebra do decoro parlamentar

O vereador Geraldo Stocco (PSB) usou as redes sociais para se manifestar sobre a situação envolvendo o vereador Felipe Passos (PSDB), acusado de assédio sexual e ‘rachadinha’ por dois ex-assessores. Na publicação feita no Facebook, Stocco defende a cassação de Felipe por quebra do decoro parlamentar. 

“Como parlamentar da cidade de Ponta Grossa preciso zelar pelo cumprimento da lei e também para que a Câmara Municipal trabalhe de maneira honesta e transparente pelo bem estar da nossa cidade. Aconteceu uma situação muito desagradável com o vereador Felipe Passos e, no cargo de vereador, eu não posso me omitir, afinal, estou aqui para fiscalizar”, explicou Stocco. 

“Diante das denúncias com boletins de ocorrência, atas notariais e depoimentos que até agora estão comprovando o que o vereador fez, nosso mandato estará propondo à corregedoria da Câmara Municipal a cassação de mandato do vereador por quebra de decoro parlamentar”, disse o parlamentar. 

“Também enviaremos a denúncia, se o Presidente da Câmara não o fizer, ao Ministério Público, para que investigue o caso. Estão sendo debatidos os crimes de assédio sexual e rachadinha, quando o parlamentar cobra parte do salário dos vereadores/comissionados. Isso não é prática ética muito menos correta!”, disparou. 

“Sou contra discursos populistas e não concordo com linchamento público, porém é preciso encarar o mandato e a vida parlamentar com seriedade e respeito a vocês, por isso do meu posicionamento”, defendeu o vereador do PSB. 

Saiba mais: 

Empresários e vereador presos em PG virão réus por corrupção

Câmara só vai analisar denúncia contra Passos em fevereiro

Vereador de Ponta Grossa nega assédio e 'rachadinha'