PUBLICIDADE

Suspeito de tiroteio com policiais em PG é preso no Paraná

Homem foi encontrado na cidade de Fazenda Rio Grande e é suspeito de assalto a banco em Floraí; ele esteve envolvido em tiroteio em Ponta Grossa

Cerco policial durou mais de quatro dias na região do Taquari dos Polacos no início de dezembro
Cerco policial durou mais de quatro dias na região do Taquari dos Polacos no início de dezembro -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Homem foi encontrado na cidade de Fazenda Rio Grande e é suspeito de assalto a banco em Floraí; ele esteve envolvido em tiroteio em Ponta Grossa

Mais um suspeito de participar do assalto a banco na cidade de Floraí, no norte do Paraná, foi preso no fim da tarde desta quarta-feira (6) em Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba. O preso também é suspeito de envolvimento no confronto armado com policiais militares e rodoviários federais em Ponta Grossa no mesmo dia do roubo aos caixas eletrônicos no norte do Estado, ocorrido em 1º de dezembro.

Segundo a PM, durante a prisão do suspeito foram apreendida grande quantidade de armas, munições e dinheiro. O homem preso já tinha três mandados em aberto, um deles por homicídio. Este é o segundo participante do ataque em Floraí e do tiroteio em Ponta Grossa que é preso pelas autoridades. No dia 4 de dezembro, outro homem tinha sido preso em Colombo com armas e parte do dinheiro do crime.

Em nota encaminhada à imprensa, o 1º Batalhão de Polícia Militar destaca a união das forças policiais para chegar à prisão dos envolvidos. “O 1º Batalhão de Polícia Militar e o 4º Comando Regional de Polícia Militar reconhecem o quão crucial foi o envolvimento de todos para efetivação desta prisão, e enaltecem os esforços de todos os policiais e instituições envolvidas, renovando o compromisso institucional de proteção e defesa da população”.

Quadrilha perigosa

A polícia destaca ainda a violência com que agiam os membros do grupo criminoso, principalmente nas ações de roubos a caixas eletrônicos e assaltos a veículos de carga. No dia do crime, os bandidos metralharam uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que tentou fazer a interceptação do veículo na rodovia – o carro da PRF era blindado e os agentes escaparam ilesos do crime.

Além disso, ainda no dia 1º de dezembro os ladrões trocaram tiros com a PM e uma policial levou tiros de fuzil na perna. Por fim, este suspeito também estaria envolvido na morte do soldado Welington Rafael Moreira numa troca de tiros em fevereiro do ano passado, novamente após ataques a bancos em Telêmaco Borba.

Relembre o caso

Depois de explodirem agência bancária em Floraí, os bandidos fugiram cruzando o Paraná e foram interceptados pela PRF quando passavam por Ponta Grossa. Houve confronto armado e uma viatura blindada foi atingida por vários tiros de fuzil. Pouco tempo depois, o carro dos bandidos foi interceptado por policiais militares e, num novo tiroteio, uma PM foi atingida na perna.

Na perseguição pela região do Taquari dos Polacos os criminosos capotaram o veículo e fugiram por um matagal. Foi montado um cerco policial em toda a área, envolvendo centenas de policiais de vários órgãos de segurança durante quatro dias, mas ninguém foi preso naquele local. Desde então, “1º Batalhão desenvolve ações de monitoramento e vigilância dos suspeitos, sempre em cooperação com o Centro de Inteligência da PMPR, com a Delegacia Regional de Polícia Federal de Ponta Grossa, e outras forças de segurança, cujo resultado é a efetivação da prisão deste elemento de alta periculosidade”

Conteúdo de marca

Quero divulgar right