Crônicas dos Campos Gerais: 'Tamancos imigrantes'

O texto de hoje é de autoria da professora Rosicler Antoniácomi Alves Gomes

Nos tempos de meus avós, aprendemos a tirar os chinelos ao sair para o quintal (quando havia chinelos nos pés para tirar...), e colocar tamancos. Aqueles tamancos que os imigrantes italianos costumavam deixar ao lado de fora da porta, perto do raspapé. A sola era uma placa de madeira malemar talhada no formato do pé, com um naco de couro cru com as extremidades pregadas nas laterais, onde o metatarso se acomodava, ficando os dedos espremidos, às vezes, pois não eram confortáveis. Eram para o trabalho no quintal.  Antes de entrar em casa, o tamanco era trocado pelas alpargatas, que eram de lona, com solado de cordinhas trançadas e costuradas em caracol. Duravam a vida inteira. As pessoas compravam maior que o pé dois números. Para não ficar escapando do calcanhar, viravam pra dentro a carcanha (alguns chamavam assim a parte de trás do calçado) e as alpargatas viravam chinelos para sempre, pois ninguém se lembrava de desvirar a carcanha quando o pé crescia. Quando viam, já era o calcanhar que estava sobrando para fora da carcanha.

Eu lembro que tive um par de tamancos, quando criança. Foi um presente que eu... (pasmem!) havia pedido. Eu usava para fazer barulho na calçada de tijolos que circundava a casa. Não me lembro onde foi parar. Passou o interesse, eu não era requisitada para o trabalho no quintal... Sumiu! Devo ter perdido em algum atoleiro, na rua, quando a patrola passava para alisar os buracos, e ... batata! Chovia em cima. Quando cresci, algumas vezes ajudei no quintal. Passava os pés no primeiro par de tamancos estacionado perto do raspapé, e lá eu ia “morrer” de trabalhar no quintal. Ah! Raspapé é uma lâmina de ferro enfiada na terra, na qual as solas dos calçados eram esfregadas, para tirar a crosta de barro que o quintal perdia para elas. Sem quintal para virar a terra e plantar, sem tamancos, a vida se modernizando, perdi o hábito de trocar calçados de fora por chinelos de dentro.

Em tempos de Covid19 me atrapalho um pouco, mas estou me acostumando com a volta desse hábito antigo, para evitar de convidá-lo a entrar grudado nas solas dos sapatos de fora. Estou também usando tiara para não ter que ajeitar com a mão a franja teimosa (cabelo pode ser a mais próxima superfície para pouso do vírus, principalmente cabelo de baixinhos), que a todo o momento quer se fazer de importante, caindo na testa. Perdão. C-a-i-n-d-o na testa parece ser um toque de charme – tendo uma cãibra capilar, que creme de pentear nenhum ajeita.

Texto escrito no âmbito do projeto Crônicas dos Campos Gerais da Academia de Letras dos Campos Gerais 

Toque de recolher volta a ser desrespeitado em PG

Toque de recolher volta a ser desrespeitado em PG...

Vacinação contra a Covid-19 inicia nesta terça-feira em PG

Vacinação contra a Covid-19 inicia nesta terça-feira em PG...

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’ na Câmara de PG

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’ na Câmara de PG...

Cidades da região elaboram planos para volta às aulas

Cidades da região elaboram planos para volta às aulas...

Prefeitura de PG perde R$ 90 mi com inadimplência

Prefeitura de PG perde R$ 90 mi com inadimplência...

PG prioriza investimento em tecnologia na área de segurança

PG prioriza investimento em tecnologia na área de segurança...

Detran-PR congela tabela de taxas cobradas no estado

Detran-PR congela tabela de taxas cobradas no estado...

PG garante castração gratuita de cães e gatos

PG garante castração gratuita de cães e gatos...

PG supera 9 mil casos ativos e 247 óbitos pela Covid

PG supera 9 mil casos ativos e 247 óbitos pela Covid...

Sanepar parcela dívidas em até 60 vezes

Sanepar parcela dívidas em até 60 vezes...

Prefeitura realizará ligação entre bairros em PG

Prefeitura realizará ligação entre bairros em PG...

Jovem encontrada no Lago de Olarias morre no hospital

Jovem encontrada no Lago de Olarias morre no hospital...

Ênio Camargo Queiroz, o Zoca, morre aos 70 anos

Ênio Camargo Queiroz, o Zoca, morre aos 70 anos...

Amazonas recebe geradores de oxigênio do Ministério da Saúde

Amazonas recebe geradores de oxigênio do Ministério da Saúde...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS