PUBLICIDADE

O fim do pedágio sete meses depois no PR

Imagem ilustrativa da imagem O fim do pedágio sete meses depois no PR

Sete meses depois do fim dos contratos de concessão do pedágio, o Estado e os usuários ainda tentam se adaptar à nova realidade. O motorista deixou de pagar pedágio, mas não desfruta da abundante quantidade de serviços proporcionados pelas concessionárias em 25 anos de contrato. O Estado, por seu lado, corre contra o tempo para iniciar um novo processo ainda este ano.

Quem percorre as estradas paranaenses, percebe deterioração do asfalto, precarização da sinalização, falta de manutenção e demora no atendimento de ocorrências ou solicitações. As estruturas das praças de pedágio estão abandonadas e isso potencializa o risco de acidentes nesses pontos da rodovia.

O Estado, em seu entendimento, afirma que as demandas estão sendo superadas. O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) atingiu nesta segunda-feira (6) a marca de 14.611 atendimentos realizados nas rodovias federais e estaduais do antigo Anel de Integração, por meio dos seus contratos de operação de tráfego rodoviário.

Estão disponíveis guinchos leves e pesados, para desobstrução de pista e remoção de veículos, além de operações de atendimento mecânico, como troca de pneus, carga elétrica, entre outras. Também é realizada a inspeção de tráfego, com equipes específicas para percorrer 100% da malha ao menos três vezes ao dia, verificando a necessidade de assistência aos usuários, inspecionando as pistas e participando ativamente na ocorrência de neblina, incêndios, acidentes e outras situações, providenciando sinalização de emergência, desvios de tráfego e demais apoios.

A situação mais comum até o momento foi pane mecânica, com 4.337 atendimentos, seguida pelo recolhimento de restos de pneus sobre a pista, com 2.035. Também foram realizados atendimentos de 786 acidentes sem vítima, 710 casos de pneu furado, 607 retiradas de materiais diversos da pista, 407 situações de falta de combustível, 406 veículos com problemas elétricos, e 247 obstáculos atrapalhando o tráfego de veículos, entre outros.

Relatórios à parte, a população aguarda o retorno do pedágio em novo formato, moderno, com tarifas baixas e com uma infinidade de serviços gratuitos. Exige obras, empregos e muita segurança

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MAIS DE EDITORIAL

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DESTAQUES

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MIX

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

BOLA