PUBLICIDADE

Coluna MSN: Mulher: Mulheres

“No Dia Internacional das Mulheres, uma história de aprendizagens”

Miguel Sanches Neto é escritor e reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa
Miguel Sanches Neto é escritor e reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Desde pequena, acompanhou-me, ouvindo conversas com intelectuais. Se a pessoa ficava até tarde em casa, ela ainda muito menina observava tudo do sofá. Falava-se de política; ela atenta. De literatura; ela não deixava de prestar atenção. De história nacional e internacional; ela fazia perguntas. Fui me acostumando a ter ao meu lado aquela criança, depois a adolescente e por fim a mulher que escolheu morar sozinha. Mas nos falamos a todo momento por mensagem ou telefone. Se liga, paro o que estou fazendo, como sempre ocorreu, e atendo.

Ao escolher Direito, não escondi minha alegria. Passei no vestibular de Direito, mas a vida não me deixou frequentar esta faculdade. Fiz-me professor. No curso jurídico, ela se encontrou. Foi uma das presidentes do Centro Acadêmico e desenvolveu coisas em prol do coletivo. Entendendo o sentido de uma universidade pública, recusou participar da formatura paga e optou pela institucional. Eu já era reitor, graças inclusive à ajuda dela, que trabalhou em minhas campanhas, e pude impor-lhe o grau. Leva no diploma o nome do pai. Mas sem nenhum peso patriarcal.

Formada, escolheu como área de atuação o Direito das Mulheres. Especialização concluída, mestrado em andamento, defendeu a criação da Casa da Mulher de Ponta Grossa, para atender às vítimas de toda forma de violência - físicas, linguísticas, simbólicas e econômicas. Estruturou a Casa, colocou tudo para funcionar, dedicando-se a esta área. Sai a qualquer hora para acolher as mulheres, com o próprio carro quando preciso, vai a hospitais e delegacias para acompanhar perícias, participa de cursos, dá cursos. 

Quando Chico Buarque venceu o Festival de Música Popular Brasileira com “A banda”, o pai dele, o grande intelectual Sérgio Buarque de Holanda, estava em Nova York. Ao ler a matéria, concluiu: “Antes, era meu filho. Depois do Festival passei a ser o pai dele”. Hoje, sou o pai da Camila Sanches, que há 27 anos me dá a oportunidade de aprender com ela.

O autor é escritor e reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa. No Instagram: @sanchesnetomiguel; no Facebook: https://pt-br.facebook.com/miguelsanchesneto/; no Twitter: @miguelsanchesnt
PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE