PUBLICIDADE

Paraná tem mais de 6,4 mil casos de dengue em investigação

O boletim também traz 37.099 casos notificados. Os dados são referentes ao período sazonal da dengue, iniciado em 31 de julho de 2022

Focos do Aedes aegypti estão em ambiente domiciliar
Focos do Aedes aegypti estão em ambiente domiciliar -

Agência Estadual de Notícias

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria estadual da Saúde (Sesa) nesta terça-feira (24) mostra que o Paraná registra 2.642 casos confirmados de dengue, o que significa 207 novas ocorrências em relação à semana anterior.

O boletim também traz 37.099 casos notificados. Os dados são referentes ao período sazonal da dengue, iniciado em 31 de julho de 2022. Os casos confirmados estão distribuídos por 225 municípios. Há, ainda, 6.412 casos em investigação.

O informe não traz novos óbitos confirmados e o Estado permanece com três registrados neste período. Dos casos confirmados, 45 casos apresentaram dengue com sinais de alarme e três dengue grave.   

A dengue com sinais de alarme é caracterizada por sintomas de maior complexidade. No período de redução da febre, o paciente pode apresentar um ou mais dos seguintes sintomas: dor abdominal intensa, vômitos persistentes, hipotensão e sangramento de mucosa. Já a grave, pode ocorrer hemorragia e choque (situação de emergência decorrente da perda de grande quantidade de líquidos e sangue).

“O Governo do Paraná segue em alerta e mobilizado contra a dengue, mas além dos esforços do poder público é muito importante o apoio permanente da população para a eliminação dos criadouros do mosquito transmissor das doenças”, ressalta o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

“Cerca de 90% dos focos do Aedes aegypti estão em ambiente domiciliar, por isso é preciso observar os quintais, ficar atento à água parada nos recipientes e a outros potenciais criadouros”, complementa.

Além da dengue, o mosquito também é responsável pela transmissão de zika e chikungunya. Durante este período não houve registro de casos de zika e quatro casos de febre chikungunya foram confirmados, todos importados.

Confira o boletim completo.

Com informações da Agência Estadual de Notícias

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE