PUBLICIDADE

Talibã proíbe mulheres de cursarem faculdade no Afeganistão

A proibição às mulheres vale tanto para instituições de ensino superior públicas quanto particulares, até segunda ordem

A proibição às mulheres vale tanto para instituições de ensino superior públicas quanto particulares
A proibição às mulheres vale tanto para instituições de ensino superior públicas quanto particulares -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O Talibã proibiu que mulheres do Afeganistão acessem o ensino superior. As novas regras valem tanto para instituições públicas quanto particulares. O jornal afegão Tolo News publicou carta do Ministério da Educação do Ensino Superior do Emirado Islâmico do Afeganistão que informa a proibição até novo aviso.

As restrições não valem apenas para o ensino superior. Autoridades do Afeganistão proibiram que meninas acessem escolas do ensino fundamental e médio, o que resultou em protestos.  A ativista Malala Yousafzai, ganhadora do Nobel da Paz, ficou conhecida no mundo inteiro em 2013, após ter sido baleada na cabeça pelos Talibãs a caminho da escola. O episódio ocorreu após a garota vir a público defender a educação para mulheres.

Extremismo no poder

O grupo extremista Talibã tomou o controle do Afeganistão, após a fuga do presidente, Mohammad Ashraf Ghani. O anúncio foi feito horas depois de o grupo cercar a capital do país, em 15 de agosto de 2021.

Pouco depois de retomar o poder, o grupo fundamentalista afirmou que vai reintroduzir execuções e amputações de membros de criminosos, ato que virou um dos símbolos do seu primeiro governo no Afeganistão, durante o período de 1996 a 2001.

Após a tomada do Talibã em Cabul, capital afegã, uma série de medidas foram feitas pela organização, como o apagamento de imagens de mulheres nos muros da cidade.

As informações são do Metrópoles

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE