PUBLICIDADE

Antes de serem carbonizados, militares visitaram casa de prostituição no RJ

Na manhã seguinte, seus corpos foram encontrados, na Estrada da Caveira, dentro de um Honda Civic que havia sido incendiado

Na manhã seguinte, seus corpos foram encontrados, na Estrada da Caveira, dentro de um Honda Civic que havia sido incendiado
Na manhã seguinte, seus corpos foram encontrados, na Estrada da Caveira, dentro de um Honda Civic que havia sido incendiado -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Horas antes de serem mortos carbonizados, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, o sargento do Exército Julio Cesar Mikaloski e o sargento da Marinha Sidiney Lins dos Santos Junior visitaram uma casa de prostituição na região. De acordo com as investigações da Polícia Civil, os militares saíram da Baixada Fluminense, onde moram, para assistir ao jogo do Brasil pela Copa do Mundo, na última sexta-feira. Na manhã seguinte, seus corpos foram encontrados, na Estrada da Caveira, dentro de um Honda Civic que havia sido incendiado.

De acordo com o registro de ocorrência, feito na 125ª DP (São Pedro da Aldeia), policiais militares do 25º BPM (Cabo Frio) foram acionados pelo 190, por volta de 7h30 de sábado. Ao chegarem, os cadáveres sem identificação foram localizados no banco de trás e no porta-malas do veículo. Agentes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) realizaram uma perícia no local.

Os corpos foram levados para o Instituto Médico-Legal (IML) de Cabo Frio, onde foi feita a necropsia. Um exame de DNA, com a comparação do material genético coletado com familiares das vítimas, também é aguardado para confirmar as identificações. Até o momento, não há previsão para os sepultamentos dos militares.

Além de busca de câmeras de segurança da região, policiais da 125ª DP estão ouvindo testemunhas e realizando outras diligências para apurar a autoria e as circunstâncias do crime. Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) informou que está prestando apoio à família e se solidariza com os parentes e amigos, mas não iria comentar sobre as investigações que estão em andamento. Já a Marinha, ainda não se manifestou.

Com informações, Yahoo

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE