PUBLICIDADE

Mulher morta por DJ chegou a se mudar por causa de agressões

Jeniffer e Cristopher mantinham um relacionamento há dez anos e testemunhas confirmam um histórico recente de violência

Mulher tinha dois empregos e se mudou para evitar a violência
Mulher tinha dois empregos e se mudou para evitar a violência -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O DJ Cristopher Skrepka, de 27 anos, que matou a facadas a namorada Jeniffer da Silva Jacinto, de 26, pode ganhar alta do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, ainda neste domingo (9). Ele tentou se matar após o crime, mas um áudio enviado à família permitiu o socorro a tempo no bairro Campo do Santana.

De acordo com testemunhas, o crime teria ocorrido durante a madrugada. Após matar Jeniffer e o cachorro do casal, Skrepka enviou um áudio confessando o crime à família.

Socorrido, o rapaz foi encaminhado ao pronto-socorro, onde passou por procedimentos médicos. Informações obtidas pela reportagem da Banda B apontam que o agressor está bem e deve ganhar alta ainda neste domingo.

O caso inicialmente foi levado à Central de Flagrantes, mas diante dos indícios fortes de feminicídio, foi repassado à Delegacia da Mulher. Policiais acompanham Skrepka no hospital e devem realizar o flagrante.

Histórico de violência

Jeniffer e Cristopher mantinham um relacionamento há dez anos e testemunhas confirmam um histórico recente de violência entre eles.

Em uma das ocasiões, Jeniffer foi amarrada em um botijão de gás e Cristopher ameaçou colocar fogo na casa com ela dentro. Testemunhas confirmam que Cristopher ainda apagou todas as redes sociais da vítima.

A vítima tinha dois empregos, em uma churrascaria e um salão de beleza. Recentemente, ela tinha chegado a se mudar para a casa de uma amiga, mas retornou após apelos de Cristopher.

Veja mais informações desta notícia na Banda B

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE