PUBLICIDADE

PM mata ex-mulher em carro e depois comete suicídio

Caso foi na noite desta terça em Curitiba, no bairro Rebouças; policiais chegaram a tentar negociar a rendição do homem

Dyegho Henrique Almeida da Silva atirou contra a ex-mulher, Franciele Cordeiro
Dyegho Henrique Almeida da Silva atirou contra a ex-mulher, Franciele Cordeiro -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O policial militar Dyegho Henrique Almeida da Silva matou a tiros a ex-mulher, Franciele Cordeiro e Silva, no final da tarde desta terça-feira (13), na Rua Francisco Nunes, no bairro Rebouças, em Curitiba. Após os disparos, ele se trancou dentro do Citroën C3 de cor branca com o corpo da vítima. Equipes policiais isolaram o local tentando negociar sua rendição até por volta das 21h15, quando o atirador tirou a própria vida com um tiro.

Segundo testemunhas, o homem chegou a bordo de uma moto, abordou a mulher que estava com a filha, uma criança de 11 anos, dentro do Citroën C3 e atirou contra ela. “Eu estava passeando com meu cachorro e ouvi cerca de oito disparos. Fomos correndo ver o que aconteceu. A PM chegou muito rápido. O atirador estava em uma moto vermelha, parou o carro branco, deu cinco tiros, uma pausa de 10 segundos e mais três tiros. A menina que estava de passageira está muito abalada e contou que o homem é padrasto dela”, disse a testemunha da ocorrência à Banda B.

O Siate foi acionado para o endereço, mas nada pode fazer já que a mulher estava dentro do veículo com o PM. A adolescente conseguiu fugir de dentro do carro. Franciele tinha 28 anos, dois filhos de outro relacionamento, a menina de 11 anos e outro de 13. O relacionamento entre Franciele e Almeida teria durado cerca de 1 ano e foi marcado por diversas brigas.

Nota

Em nota, a Polícia Militar afirma que todos os procedimentos de segurança foram adotados pelas equipes policiais.

“Sobre os fatos ocorridos no final da tarde/início da noite desta terça-feira, a Polícia Militar do Paraná, inicialmente, se solidariza com os familiares das vítimas e lamenta o acontecido. Todos os procedimentos de segurança foram adotados pelas equipes policiais desde a primeira intervenção e as tratativas foram feitas de forma incessante. Neste momento é fundamental mover todos os esforços para amparo das famílias e as motivações serão devidamente apuradas posteriormente. Mais informações serão repassadas assim que possível.”

Almeida publicou um vídeo no status do WhatsApp, após ter matado a tiros a ex-mulher, em que diz ter sido “vítima de um relacionamento abusivo”.

“Só para todo mundo saber, homem também sofre relacionamento abusivo. Homem é abusado, esculachado, passa por muita coisa na mão de uma mulher e isso afeta o psicológico, afeta tudo. No primeiro sinal de abuso, fuja rapaziada. Vocês não merecem”, disse o policial no vídeo.

As informações são da Rádio Banda B

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE