PUBLICIDADE

São João do Triunfo é o maior produtor de tabaco do Paraná

Segundo a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), o município registrou uma colheita de 18,2 toneladas na safra 2020/2021

No ranking nacional, São João do Triunfo ficou atrás apenas do município de Canguçu, localizado no Rio Grande do Sul, que produziu cerca de 18.845 toneladas
No ranking nacional, São João do Triunfo ficou atrás apenas do município de Canguçu, localizado no Rio Grande do Sul, que produziu cerca de 18.845 toneladas -

Allyson Santos

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A cidade de São João do Triunfo se consolida cada vez mais como uma referência estadual e nacional na produção de tabaco. Segundo o levantamento mais recente divulgado pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), o município registrou uma colheita de 18,2 toneladas na safra 2020/2021. O desempenho coloca São João do Triunfo no topo do ranking estadual, ficando à frente de outras cidades dos Campos Gerais e Centro-sul, como Rio Azul, Ipiranga, Prudentópolis, Irati, Palmeira e Imbituva.

No ranking nacional, São João do Triunfo ficou atrás apenas do município de Canguçu, localizado no Rio Grande do Sul, que produziu cerca de 18.845 toneladas. O que chama atenção é o fato desse total produtivo triunfense estar relacionado a 2.125 famílias produtoras, enquanto Canguçu possui 5.144. A média de cultivo de cada propriedade de São João do Triunfo gira em torno de 8.594 quilos, contra 3.664 do município gaúcho.

Desempenho regional

Ainda em relação ao fumo, a região de Irati liderou em área plantada no Estado nesta safra 2020/21, segundo o Departamento de Economia Rural do Paraná (Deral), mas a maior colheita foi registrada na região de Ponta Grossa. Somados os valores produzidos pelos municípios pertencentes a esses núcleos regionais, o total corresponde a 63,3% de toda produção paranaense. Enquanto nos municípios pertencentes ao núcleo de Irati plantaram 22,5 mil hectares, e de Ponta Grossa 21,6 mil, a produção atingiu 51,7 mil toneladas na região de Irati e 54 mil toneladas na regional de Ponta Grossa. No Paraná, a produção total foi de 167 mil toneladas, em uma área de 70 mil hectares. 

Números da erva-mate

Outro prognóstico revelado foi o de erva mate. O Paraná foi o principal produtor, com um volume de 228.382 toneladas, responsável por 43% da produção nacional da erva utilizada para fazer o chimarrão. Os maiores municípios produtores foram Cruz Machado, São Mateus do Sul, Bituruna, Prudentópolis e General Carneiro. 

Nos Campos Gerais, uma das cidades que pretende fomentar a produção de erva mate é São João do Triunfo. No 2º semestre de 2021, o município anunciou a chegada de uma nova indústria voltada para a produção e exportação da erva. A unidade da Qualitá Brasil receberá um investimento total de R$ 7 milhões e deve gerar ao menos 15 empregos diretos, além de estimular a produção na cidade.

Cidades da região se destacam em outros setores

Castro e Arapoti, municípios da região dos Campos Gerais, lideram dois rankings nacionais na produção pecuária. Enquanto o primeiro é o que mais produz leite no Brasil, o segundo é o maior produtor de mel do país. Mais do que isso, Castro possui o terceiro maior valor nacional de produção entre os produtos de origem animal, com cifras que superaram os R$ 900 milhões movimentados no ano passado. As informações constam na Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quinta-feira (22) pelo IBGE, referentes ao ano de 2021. Arapoti manteve a liderança nacional na produção de mel, passando de 810 toneladas, em 2020, para 925,6 toneladas em 2021.

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE