AMPG completa 90 anos de trabalho

A associação é a mais antiga das que representam a classe no Paraná, e trabalha pelos médicos dos Campos Gerais.

A AMPG acompanhou a ascensão da mulher na Medicina de PG, os avanços na tecnologia e na pesquisa científica e também a expansão de instituições de saúde na cidade
A AMPG acompanhou a ascensão da mulher na Medicina de PG, os avanços na tecnologia e na pesquisa científica e também a expansão de instituições de saúde na cidade -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A associação é a mais antiga das que representam a classe no Paraná, e trabalha pelos médicos dos Campos Gerais.

A Associação Médica de Ponta Grossa (AMPG) completa, nesta quarta-feira (18), 90 anos de trabalho ativo nos Campos Gerais. Com um histórico de representatividade, a entidade é a mais antiga da classe médica no Paraná, tendo se consolidado na defesa de pautas importantes relacionadas à área da saúde e na aproximação dos profissionais atuantes da categoria.  

Para este novo ciclo, a diretoria da AMPG prepara uma série de novidades que visa reestruturar a Associação em Ponta Grossa. Segundo o presidente, Francisco Barros, uma das ações planejadas ao longo dos próximos meses é a busca por novos convênios aos associados.  

“Na última semana, a diretoria da AMPG se reuniu com a Universidade Corporativa da Abramge (UCA) para viabilizarmos uma parceria. A ideia é proporcionar descontos especiais aos nossos associados para cursos de MBA ou de curta duração e fomentar a importância da continuação nos estudos. Pretendemos também conseguir novos convênios e benefícios para as demais áreas, com o intuito de valorizar cada vez mais os associados que fazem parte da história da AMPG”, ressalta Barros. 

A AMPG iniciou sua história em Ponta Grossa em 18 de agosto de 1931, quando os médicos residentes em Ponta Grossa foram convidados por José de Azevedo Macedo a formar uma entidade de vanguarda aos interesses da classe. Na época, então, surgiu a Sociedade Médica Pontagrossense, que tinha como finalidade aproximar os médicos, visando a troca de conhecimento sobre diagnósticos complexos e apostando no princípio de utilidade pública da Associação. A Sociedade depois tornou-se o Centro Médico Eurico Branco Ribeiro e somente em 14 de novembro de 1951 que se consolidou como Associação Médica de Ponta Grossa. 

História de Ponta Grossa e o avanço da Medicina 

 Ao longo dos 90 anos de jornada, a AMPG esteve presente em vários momentos importantes da história ponta-grossense, além de participar de fatos memoráveis que envolvem o avanço da Medicina. Na década de 1930, a fundação da Sociedade coincidiu com um momento em que as especializações ganhavam espaço no campo médico. Com esse contexto histórico, foi desde as primeiras reuniões que a Associação demonstrou preocupação com o aperfeiçoamento científico da categoria, se empenhando também na organização de eventos e fomentando a participação dos médicos nesses tipos de encontro.  

“A Associação Médica vivenciou a expansão das especialidades; a ascensão das mulheres na Medicina; vimos também a inserção dos médicos em outros campos, como na política, que é o caso do Amadeu Puppi, do Bartholomeu Lisboa e do David Federmann. Observamos ainda os avanços nos tratamentos de algumas doenças e a instalação de novas instituições de saúde no município. Enfim, participamos de vários momentos. Por isso digo que a história da Associação representa também a história de Ponta Grossa”, destaca Barros. 

Força política 

Uma das bandeiras levantadas pela AMPG em 90 anos é o de assumir o protagonismo na defesa por questões políticas e sociais emergentes em cada período histórico. Uma das causas levantadas pela entidade, que marcou a trajetória da Associação, foi a respeito das discussões para a vinda de uma faculdade de Medicina para Ponta Grossa. Na época, a AMPG lutou pela implantação do curso superior na cidade e se envolveu em vários debates para defender que o ensino fosse qualitativo, com uma boa estrutura. 

Hoje, a Associação conta com associados de diversas especialidades. O quadro de profissionais é composto por médicos e estudantes de Medicina de Ponta Grossa e da região dos Campos Gerais. Nos últimos anos, a AMPG também participou ativamente de discussões acerca do Revalida no Paraná, ganhando força perante os profissionais da área.  

“Houve uma tentativa de fraude nas provas do Revalida que seriam aplicadas no Paraná. Nós atuamos no sentido de defender a manutenção da avaliação até para garantir um serviço de qualidade aos nossos pacientes e também a valorizar os médicos brasileiros. Conseguimos essa vitória graças à força da voz da nossa entidade”, sustenta Barros. 

Serviço 

Os interessados em se associar ou contatar a Associação Médica de Ponta Grossa podem telefonar para o 3224-2261 ou ir presencialmente até a rua Júlia Wanderley, 473. A AMPG também possui sua história narrada em três livros do projeto ‘Medicina em Ponta Grossa: histórias da Associação Médica’. Os materiais foram organizados pelo historiador Niltonci Chaves e encontram-se disponíveis na sede da entidade. 

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE PONTA GROSSA 

A Associação Médica de Ponta Grossa é a entidade responsável por defender os interesses da classe médica de Ponta Grossa e dos Campos Gerais. Com 90 anos de atuação, a AMPG é a associação mais antiga da categoria no Paraná, tendo consolidado seu papel de representatividade na região. A diretoria atual é composta por: Francisco Barros (presidente), Gilmar Nascimento (vice-presidente), José Artur Sgarbi (tesoureiro) e Mário Montemór Netto (secretário). As principais frentes da AMPG são Relacionamento Comunitário, Convênios e Científico & Cultural. A Associação localiza-se na rua Júlia Wanderley, 473. O telefone para contato é (42) 3224-2261. Mais informações, acesse: ampg.org.br