Lockdown: decretar ou não?

O aumento de casos positivos e de mortes, coincidindo com a queda abrupta das temperaturas, é a base de motivo do Ministério Público para pedir a invalidade dos decretos municipais que permitiram a abertura de atividades não essenciais, no Paraná. Não é uma medida simples. A aplicação dela terá inúmeras consequências – principalmente no comércio. Há dúvidas, ainda, sobre sua efetividade no combate ao coronavírus.

Nessa segunda-feira, os promotores de Justiça responsáveis pela área de Proteção à Saúde Pública nas quatro macrorregiões do Paraná ajuizaram ação civil pública, com pedido de antecipação dos efeitos da tutela, para invalidar atos normativos do Estado do Paraná que autorizaram o funcionamento de atividades comerciais tidas como não essenciais, enquanto durar o estado de emergência em saúde pública decretado em decorrência da pandemia de Covid-19.

A proposição de ação tem larga amplitude. Os promotores requerem também que o Estado do Paraná se abstenha de adotar novas medidas que tenham o mesmo propósito sem prévia apresentação de justificativa técnica fundamentada em evidências científicas e em orientações da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.

Na ação, os promotores lembram que até meados de abril o Paraná vinha adotando regras que o colocavam como referência nacional em prevenção à contaminação pelo coronavírus. Posteriormente, entretanto, tais medidas foram sendo relaxadas, a partir de normativas do Estado do Paraná e dos municípios, de modo que atualmente atividades comerciais não essenciais estão com seu funcionamento próximo da normalidade.

Em live no Portal aRede, no início da noite de ontem, o prefeito Marcelo Rangel diz que essa medida terá grande impacto na atividade comercial. Sinalizou que o ‘fecha tudo’ deve estar condicionado ao aumento de casos e de óbitos. O governador Ratinho Junior deve se reunir nesta terça-feira com membros do MP, do Judiciário e da Procuradoria para tratar deste tema. Há algum tempo ele vem sinalizando que medidas rígidas deverão ser adotadas no Estado.

O Ministério Público do Paraná requer ainda que, em função do agravamento do quadro de contaminação e do número de mortes decorrentes da Covid-19, o Estado do Paraná adote medidas restritivas compatíveis com a gravidade do atual cenário, entre elas o lockdown, sobretudo nas regiões que apresentam quadros mais preocupantes. Tal requerimento considera também o início do inverno, quando as síndromes respiratórias agudas se tornam mais frequentes, impactando as redes pública e privada de saúde. O MPPR justifica a urgência em se adotar tais medidas para evitar mais vítimas e também para prevenir o colapso do sistema de saúde.

Charge da edição desta terça-feira (30/06/2020) do JM

Charge da edição desta terça-feira (30/06/2020) do JM...

Capa da edição desta terça-feira (30/06/2020) do JM

Capa da edição desta terça-feira (30/06/2020) do JM...

Prazo para envio da declaração do IR termina nesta terça

Prazo para envio da declaração do IR termina nesta terça...

Muffato reinaugura renovada loja Olarias nesta terça

Muffato reinaugura renovada loja Olarias nesta terça...

PG fecha 234 vagas de emprego em maio

PG fecha 234 vagas de emprego em maio...

Banco Paccar financia mais de R$ 550 milhões em um ano

Banco Paccar financia mais de R$ 550 milhões em um ano...

Rangel explica como e quando 'lockdown' aconteceria em PG

Rangel explica como e quando 'lockdown' aconteceria em PG...

MP pede lockdown em todas as cidades grandes do Paraná

MP pede lockdown em todas as cidades grandes do Paraná...

Empreendedores reinventam festa junina na pandemia

Empreendedores reinventam festa junina na pandemia...

Confira seu horóscopo para esta Segunda-feira (29/06)

Confira seu horóscopo para esta Segunda-feira (29/06)...

Imagem de Sant’Ana restaurada será entregue nesta sexta

Imagem de Sant’Ana restaurada será entregue nesta sexta...

Brasileirão da Série B deve retornar em agosto

Brasileirão da Série B deve retornar em agosto...

Plauto confirma R$ 3,3 milhões para Imbituva e Tibagi

Plauto confirma R$ 3,3 milhões para Imbituva e Tibagi...

Paraná pode colher 40,9 milhões de toneladas de grãos

Paraná pode colher 40,9 milhões de toneladas de grãos...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS