Lockdown e liberdade de locomoção

Por Débora Veneral e Karla Knihs 

Palavras repetidas à exaustão e fora de contexto perdem seu significado. A palavra da moda agora – e que muitas vezes tem sido empregada erroneamente e esvaziada de seu sentido original – é lockdown. O termo pode ser traduzido como “confinamento” e tem sentido diferente dos conceitos de “isolamento social” e de “quarentena”.

Quarentena, segundo a Lei 13.979/2020, é restrição de atividades ou separação de pessoas suspeitas de contaminação das pessoas que não estejam doentes, ou de bagagens, contêineres, animais, meios de transporte ou mercadorias suspeitos de contaminação, de maneira a evitar a possível propagação de doenças. É, portanto, medida de prevenção de contágio. Após exposição a COVID-19 recomenda-se 14 dias de quarentena, pois esse é prazo máximo de incubação do vírus.

Isolamento social, por sua vez, é a separação de pessoas doentes ou já contaminadas, ou de bagagens, meios de transporte, mercadorias ou encomendas postais afetadas, de outros, de maneira a evitar a contaminação ou a propagação do coronavírus. Pode ser feito em casa, ou, em casos mais graves, no hospital.

Por fim, o lockdown deve ser hoje traduzido como o confinamento forçado pelo Estado, da população em casa, um isolamento social rígido, em que há o cerceamento da liberdade de locomoção dos indivíduos, sendo permitido deslocamento, via de regra, apenas para desempenho de atividades essenciais ou compra de itens básicos. Assim, o lockdown se trata de cercear o direito de ir e vir, Direito Fundamental protegido pela Constituição Federal que, em seu art. 5º afirma ser livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens.

É possível que haja restrição a Direitos Fundamentais em duas hipóteses, segundo a Constituição: decretação de estado de defesa ou de estado de sítio. Frise-se que, no Brasil, se decretou apenas estado de calamidade pública. Assim, em princípio, atos dos Poderes Executivos de Estados e municípios cerceando a locomoção são inconstitucionais. O STF, contudo, decidiu recentemente que Estados e Municípios podem restringir a locomoção das pessoas – ou seja, decretar lockdown – sem o aval do Governo Federal. Trata-se, portanto, de uma discussão que envolve o embate entre direitos fundamentais: direito à saúde, direito de ir e vir e, principalmente, direito à liberdade.

No entanto, em tempos de pandemia é de se lembrar que o interesse coletivo deve prevalecer ao individual, afinal o Estado é o maior responsável pela vida, que uma vez perdida, não há lockdown, quarentena ou isolamento que possa restabelecê-la.

Autoras:

Débora Veneral é advogada e diretora da Escola Superior de Gestão Pública, Política, Jurídica e Segurança do Centro Universitário Internacional Uninter.

Karla Knihs é advogada e professora do Curso de Direito do Centro Universitário Internacional Uninter.

 

Vacinação contra a Covid-19 inicia nesta terça-feira em PG

Vacinação contra a Covid-19 inicia nesta terça-feira em PG...

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’ na Câmara de PG

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’ na Câmara de PG...

Cidades da região elaboram planos para volta às aulas

Cidades da região elaboram planos para volta às aulas...

Prefeitura de PG perde R$ 90 mi com inadimplência

Prefeitura de PG perde R$ 90 mi com inadimplência...

PG prioriza investimento em tecnologia na área de segurança

PG prioriza investimento em tecnologia na área de segurança...

Detran-PR congela tabela de taxas cobradas no estado

Detran-PR congela tabela de taxas cobradas no estado...

PG garante castração gratuita de cães e gatos

PG garante castração gratuita de cães e gatos...

PG supera 9 mil casos ativos e 247 óbitos pela Covid

PG supera 9 mil casos ativos e 247 óbitos pela Covid...

Sanepar parcela dívidas em até 60 vezes

Sanepar parcela dívidas em até 60 vezes...

Prefeitura realizará ligação entre bairros em PG

Prefeitura realizará ligação entre bairros em PG...

Jovem encontrada no Lago de Olarias morre no hospital

Jovem encontrada no Lago de Olarias morre no hospital...

Ênio Camargo Queiroz, o Zoca, morre aos 70 anos

Ênio Camargo Queiroz, o Zoca, morre aos 70 anos...

Amazonas recebe geradores de oxigênio do Ministério da Saúde

Amazonas recebe geradores de oxigênio do Ministério da Saúde...

Receita Estadual prorroga prazo para pagamento do IPVA

Receita Estadual prorroga prazo para pagamento do IPVA...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS