Bolsonaro estaria com medo de ser preso, diz coluna

Preocupação teria relação com possível derrota nas eleições de outubro

Preocupação teria relação com possível derrota nas eleições de outubro
Preocupação teria relação com possível derrota nas eleições de outubro -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Caso perca as eleições deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (PL) acredita que pode ser preso por conta do resultado de inquéritos, assim como seus filhos. As informações são da coluna de Mônica Bergamo.

Segundo a jornalista, Bolsonaro tem levado a preocupação para diversas pessoas em Brasília. Segundo elas, o presidente está 'transtornado' com a possibilidade de perder o pleito e ser preso.

Durante um ato de 7 de setembro, no ano passado, na Avenida Paulista, em São Paulo, Bolsonaro chegou a dizer: “Nunca serei preso”. Ele disse ainda que só sairia do Palácio do Planalto “preso, morto ou com vitória”.

O medo de Bolsonaro é cabível, já que, caso não continue na Presidência, ele poderá ser julgado pela Justiça comum, que tem penas mais severas. O presidente é alvo de diversos inquéritos, muitos por conta de sua atuação durante a pandemia de covid-19 e pelos ataques ao sistema eleitoral, às urnas eletrônicas e aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Fala a embaixadores

Mais recentemente, o presidente foi denunciado ao STF por conta de ataques ao sistema eleitoral brasileiro durante encontro com embaixadores em julho. A representação foi elaborada por dez deputados de sete partidos de oposição. Eles pedem que o presidente seja investigado por crime contra o Estado Democrático de Direito.

Eles pedem que Bolsonaro seja investigado por "tentar, com emprego de violência ou grave ameaça, abolir o Estado Democrático de Direito, impedindo ou restringindo o exercício dos poderes constitucionais". O delito do qual acusam Bolsonaro pode dar de 4 a 8 anos de prisão e é previsto no Código Penal pela Lei de Defesa do Estado Democrático de Direito.

"A atitude de Bolsonaro foi criminosa, além de covarde. Mais uma vez ele atenta contra as instituições e a democracia com o único objetivo de se manter no poder. É uma atitude típica de um autocrata que faz uso da máquina pública de forma leviana, vergonhosa e eleitoreira, disseminando mentiras", disse Bira do Pindaré (PSB-MA).

As informações são do Yahoo!