Polícia investiga furto de obras de arte da Casa da Cultura

A Polícia Civil de Castro está investigando o furto de 90 obras de xilogravura da artista Dorothea Wiedmann que estavam na Casa da Cultura Emilia Erichsen.

Dorothea viveu em diversos países, e produziu obras com temáticas da natureza, culturais e humanas.
Dorothea viveu em diversos países, e produziu obras com temáticas da natureza, culturais e humanas. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A Polícia Civil de Castro está investigando o furto de 90 obras de xilogravura da artista Dorothea Wiedmann que estavam na Casa da Cultura Emilia Erichsen.

Ao chegar ao trabalho no dia 20 de junho, a funcionária responsável pela casa encontrou etiqueta de uma obra da artista caída no pátio externo. Ao verificar a pasta onde se encontravam as obras impressas em papel de arroz japonês, deu por falta de mais obras. Foi chamada a Guarda Municipal que atendeu a ocorrência e a responsável pela casa fez Boletim de Ocorrência na delegacia.

“Não podemos calcular o valor, pois este é um acervo da própria artista com obras originais e únicas. Tomamos todas as providências necessárias e esperamos que o caso possa ser resolvido o mais rápido possível”, disse o superintendente de Cultura da Secretaria Municipal de Cultura, Indústria, Comércio e Turismo, Daniel Schendroski Filho.

Artista

Dorothea Wiedemann, artista alemã radicada em Castro, utilizava nas suas obras a técnica de xilogravura, que é a impressão sobre papel, das matrizes em tábuas de madeira, das quais, utilizava diversos tipos: algumas recolhidas do mar, outras recuperadas e trabalhadas. Dorothea viveu em diversos países, e produziu obras com temáticas da natureza, culturais e humanas.

Estas obras foram doadas pelos familiares da artista que já foram informados sobre o furto.