Reféns da covid e das cargas

Por João Alfredo Lopes Nyegray

Há algumas semanas, depois de dias de um isolamento severo, habitantes de Shanghai, moderna cidade chinesa, gritavam aflitos das janelas de seus apartamentos. Para o desespero havia inúmeras razões: falta de itens básicos de higiene pessoal, falta de medicamentos de uso contínuo e, até e principalmente, de alimentos. Incontáveis vídeos de geladeiras e armários vazios, crianças chorando e idosos enfraquecidos tomaram as redes. Como já era de se esperar, a escassez de alimentos gerou aumento nos preços, e a situação piorou muito rapidamente. Num momento em que a agonia atingiu seu auge, e os gritos angustiados geraram um coro de milhares de pessoas, drones tomam os céus poluídos da megalópole ordenando que seus habitantes controlassem seus desejos de liberdade, não cantassem e se afastassem de suas fenestras.

O uso de drones para emitir tais ordens, tal qual a decretação de lockdown sem aviso prévio – impedindo que as pessoas estocassem um mínimo de alimentos e remédios –, é uma mostra não apenas do totalitarismo hi-tech chinês, mas dos novos reféns da pandemia, mais de dois anos após sua eclosão. Alguns dias depois, após incontáveis críticas da comunidade internacional, os chineses distribuíram alguns kits básicos de alimentação para os moradores isolados.

A violação dos direitos mais básicos de seus habitantes, no entanto, não parava ali. A testagem em massa, um dos pilares da tolerância zero ao vírus, separava famílias, retirava bebês dos colos de suas mães; destruia também fisicamente lares diversos ao pulverizar compostos químicos por residências que, após duas semanas, vazias, apodreciam rapidamente. Essa política agressiva nos leva a questionar os números de infectados e mortos divulgados pelo governo chinês. De janeiro a março deste ano, Pequim anunciou um número de mortos por covid-19 maior do que em todo o ano de 2021.

Por mais eficaz que o isolamento social, o uso de máscaras, a vacinação maciça e a higiene das mãos sejam no combate à pandemia, o custo humano dos novos reféns do isolamento não é o único. Além da cidade de Shanghai – que abriga a maior siderúrgica e o maior polo de construção naval da China –, a cidade de Shenzhen, ao sul, também passou por políticas semelhantes. Shenzhen, considerada o Vale do Silício Chinês, é sede de empresas de tecnologia e hoje a terceira maior cidade da China.

O lockdown rigoroso em grandes cidades chinesas gerou efeitos que rapidamente se espalharam pelo mundo. Além de um importante centro financeiro, Shanghai concentra um dos mais importantes portos do mundo – que, só em 2021, foi responsável por 27% das exportações chinesas. Com a abrupta parada nas atividades gerais na cidade, o envio e o recebimento de mercadorias para e do mundo foram interrompidos. O acúmulo de contêineres, em falta por todo o planeta, e a fila de navios para desembarque e embarque de mercadorias, já geram efeitos por toda a cadeia produtiva global. Empresas como a Volkswagen, já paralisaram a produção de automóveis em várias de suas plantas.

O Brasil pode experimentar uma redução momentânea nas exportações de minérios e soja para a China, uma vez que cidades com a produção interrompida, certamente não utilizarão esses itens. Somados aos efeitos econômicos também globais da invasão russa à Ucrânia, os lockdowns na China já prejudicam a economia do mundo todo e escancaram a dependência das cadeias produtivas das cargas vindas da China. O Brasil, que se desindustrializou nos últimos anos, é altamente dependente de manufaturados chineses, assim como Estados Unidos e União Europeia. A redução dessa dependência não é algo que pode ocorrer rapidamente, e deve fazer parte de um planejamento.

Uma das explicações para o meteórico crescimento de Shanghai foi a implantação de Zona de Processamento Econômico de Exportação e Zona de Livre Comércio. Nesse ambiente, a tributação de atividades industriais é praticamente nula, e o governo facilita a geração e implantação de novos negócios. A esse cenário favorável, soma-se uma infraestrutura de qualidade e o incentivo à educação técnica e universitária. O que nós, brasileiros, estamos esperando para replicar aqui essas iniciativas?

*João Alfredo Lopes Nyegray, doutorando em estratégia, mestre em internacionalização. Coordenador do curso de Comércio Exterior e professor de Geopolítica e Negócios Internacionais na Universidade Positivo

 

Heineken obtém licença para ampliar cervejaria em PG

Heineken obtém licença para ampliar cervejaria em PG ...

Investimentos da Klabin na região superam R$ 8,48 bi

Investimentos da Klabin na região superam R$ 8,48 bi ...

Capa da edição desta quarta-feira (04/05/2022) do JM

Capa da edição desta quarta-feira (04/05/2022) do JM ...

Tibagi intensifica ações de combate à dengue

Agentes de combate a endemias do município visitam os chamados pontos estratégicos, que compreendem ...

Piraí do Sul projeta mais de R$ 50 milhões para infraestrutura

Prefeito Henrique Carneiro fala sobre as expectativas da atual gestão para os próximos meses ...

Telêmaco debate novos planos para a administração pública

Prefeito Dr. Márcio Matos elogiou a iniciativa da Klabin, em parceria com a Interação Urbana ...

MM instala painel com contagem regressiva para os 200 anos de PG

MM instala painel com contagem regressiva para os 200 anos de PG ...

Carambeí aplicou mais de R$ 3 milhões para pagar professores

Secretário de Finanças, Olivir Pereira de Paula, explica que o município destinou recursos próprios ...

Lojas do Palladium prepararam descontos para o Dia das Mães

Lojas do Palladium prepararam descontos para o Dia das Mães ...

Ipiranga terá obra estruturante no valor de R$ 4,4 milhões

Prefeito Douglas Modesto recebeu a ordem de serviço para a pavimentação asfáltica da rua José Maria ...

Sanepar investe R$ 376 milhões para obras em 12 cidades

Novo aporte financeiro foi oficializada na terça-feira (3). Ação inclui os municípios de Castro e Iv ...

Imbituva completa 151 anos com crescimento em alta

Administração do prefeito Celso Kubaski trabalha para ampliar o desenvolvimento nos mais diversos se ...

Aliel anuncia novos recursos para Cândido de Abreu

Município garante equipamentos para revitalizar estradas rurais ...

Exoneração de Manjabosco é publicada no Diário Oficial

Nos próximos dias a chefe da administração municipal anunciará o substituto. ...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

REDES SOCIAIS