PUBLICIDADE

Com vista para a Vila Belmiro, Pelé escolheu onde seria enterrado

O cemitério vertical Memorial Necrópole Ecumênica está desde 1991 no Guinness Book, o livro dos recordes, como o mais alto do mundo.

Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos (SP), é considerado um dos maiores cemitérios verticais do mundo
Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos (SP), é considerado um dos maiores cemitérios verticais do mundo -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, que morreu nesta quinta-feira (29), aos 82 anos, comprou um lóculo no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos, no litoral de São Paulo, há 19 anos. Na data da aquisição, o Rei do Futebol disse que o local "não parecia um cemitério" e que transmitia "paz espiritual e tranquilidade".

O lóculo é o espaço onde o caixão é colocado em cemitérios verticais. Pelé escolheu o nono andar do memorial, com vista para o Estádio Urbano Caldeira, a Vila Belmiro, em homenagem ao pai, que usava a camisa de número nove nos tempos de jogador.

O cemitério vertical, localizado no bairro do Marapé, está desde 1991 no Guinness Book, o livro dos recordes, como o mais alto do mundo, e guarda os restos mortais de parentes e amigos de Pelé.

A compra de um plano que assegurava o uso de lóculo para a família aconteceu 7 de julho de 2003, quando ele tinha 62 anos. Em entrevista ao jornal A Tribuna, o Rei ressaltou as qualidades do local.

"Escolhi por sua organização, limpeza e estrutura. É um local que transmite paz espiritual e tranquilidade, onde a pessoa não se sente deprimida, sequer parece com um cemitério", explicou Pelé, à época.

Vista para a Vila Belmiro e homenagem ao pai

O lóculo adquirido por Pelé fica no nono andar e, de acordo com a reportagem, por coincidência, permite que as pessoas possam ver a Vila Belmiro.

Segundo o Rei do Futebol, o número do andar escolhido, por sua vez, fazia parte de uma homenagem ao pai, João Ramos do Nascimento, mais conhecido como Dondinho.

"Ele era centroavante e usava a camisa nove. Por isso, escolhi o andar com este número e que dá para ver o estádio. Com certeza, ele iria aprovar a ideia", comentou Pelé.

No dia da aquisição, o ex-jogador destacou que, embora fosse de Minas Gerais, assim como outros entes queridos, e pudesse optar pelo enterro no estado, o acordo da família permanecer em Santos (SP) foi firmado anteriormente.

"Nós nos identificamos muito com Santos e decidimos que aqui é o local que todos vão ficar para sempre e juntos. A minha avó [Ambrosina], a minha tia Maria e o meu pai [Dondinho] eram mineiros, mas antes de falecerem já haviam dito que gostariam de permanecer em Santos, embora pudessem optar por Minas Gerais. Enfim, Santos está no meu coração", declarou Pelé, em 2003.

No cemitério, estão enterrados também o irmão de Pelé, Jair Arantes do Nascimento, o Zoca, que morreu em 2020; sua filha, Sandra Arantes do Nascimento, que morreu em 2006; bem como Antonio Wilson Honório, o Coutinho, parceiro de ataque no mítico Santos bicampeão mundial em 1962/1963, que morreu em 2019.

Com informações, G1

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE