Bolsonaro bate o martelo e se filia ao PL em 30 de novembro

Data foi decidida em reunião entre presidente e Valdemar da Costa Neto.

Atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido).
Atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido). -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Data foi decidida em reunião entre presidente e Valdemar da Costa Neto

A filiação do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) ao Partido Liberal (PL) será oficializada em 30 de novembro, às 10h30. O anúncio foi feito no final da tarde da última terça-feira (23), em nota divulgada pela assessoria do partido.

“A definição da data é produto de encontro que, na tarde de hoje, 23, reuniu o presidente da República e o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto”, informou a sigla. O evento ocorrerá em Brasília, no Complexo Brasil 21, região central da capital. Mais cedo, em entrevista a uma rádio da Paraíba, Bolsonaro havia dito que estava tudo "praticamente resolvido" entre ele e Costa Neto.  

A filiação de Bolsonaro ao PL deveria ter ocorrido em 22 de novembro, mas foi adiada de comum acordo entre as partes por causa de indefinições sobre a composição dos palanques estaduais nas eleições do ano que vem. A principal demanda de Bolsonaro é garantir uma candidatura própria do partido ao governo de São Paulo. No estado, no entanto, o PL se encaminhava para apoiar a candidatura do atual vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB).

Durante a tarde de ontem (23), o senador Wellington Fagundes (PL-MT), líder do partido no Senado, esteve no Palácio do Planalto e afirmou, após deixar o local, que o impasse em torno de uma candidatura própria do PL em São Paulo estaria resolvido. "São Paulo está totalmente encaminhado. Provavelmente a candidatura do ministro Tarcísio [Freitas] a governador", disse. Titular do Ministério da Infraestrutura e um dos auxiliares mais próximos de Bolsonaro, Tarcísio Freitas poderá ser o candidato do presidente ao governo em São Paulo.

Partido envolvido no Mensalão

Em 2005, o PL e o próprio Valdemar da Costa Neto foram manchete nos jornais durante o chamado escândalo do 'mensalão', em que o governo do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, foi acusado de pagar dinheiro a deputados em troca de apoio a projetos do governo. A participação de integrantes do PL no caso foi denunciada pelo presidente nacional do PTB e então deputado federal Roberto Jefferson.

Com informações: Agência Brasil.

Leia também:

Presidente Bolsonaro sanciona lei que institui o auxílio gás.