PUBLICIDADE

Elizabeth vai lançar novo edital para o Mercadão de PG

Prefeita tem na obra do novo Mercado Municipal de Ponta Grossa uma de suas prioridades; novo edital ainda é preparado pelo governo

Antigo prédio foi demolido em março de 2019 e, desde então, obra não teve qualquer avanço
Antigo prédio foi demolido em março de 2019 e, desde então, obra não teve qualquer avanço -

Prefeita tem na obra do novo Mercado Municipal de Ponta Grossa uma de suas prioridades; novo edital ainda é preparado pelo governo

Envolto em polêmicas há décadas e foco de todos os candidatos nas eleições de 2020, o terreno do antigo Mercado Municipal de Ponta Grossa deve voltar à pauta nos próximos meses. Isso porque a prefeita Elizabeth Schmidt (PSD) definiu como uma das prioridades de sua gestão lançar o novo edital para as obras. O objetivo assumido em campanha é de transformar o espaço, antes problemático, em uma área comercial e de convivência, com serviços, comércio e uma praça.

“Queremos lançar o novo edital o mais rapidamente possível. Aquela região da cidade merece essa melhoria, que vai trazer um forte impacto na qualidade de vida de todos que moram e transitam por aquela área. Infelizmente, o contrato anterior não foi bem-sucedido. Mas estamos superando isso e creio que muito em breve teremos o novo edital”, disse a prefeita. O prédio foi demolido em março de 2019 e, desde então, não houve qualquer tipo de avanço.

O diretor do Departamento de Compras e Contratos da Prefeitura, Marcos Aurélio Dias, explica que o contrato com a Tekla Engenharia foi rescindido unilateralmente por inadimplência por parte da empresa no dia 8 de dezembro. Ele conta que a Tekla responde a um processo administrativo de penalização, que aguarda parecer da Procuradoria Geral do Município. “Além da multa de 10% do valor do contrato, a empresa pode perder a garantia depositada no valor superior a R$ 360 mil e também ficar suspensa por dois anos de participar de outras licitações”, relata Dias.

Ainda não há uma data para o lançamento do novo edital porque o documento ainda está em fase de estudos pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional. José Loureiro, responsável pela pasta, explica que há a intenção de fazer um projeto muito semelhante ao anterior. “Os termos do edital só precisam ser ajustados no tocante a prazos e obrigações. Precisamos nos precaver, elaborando um edital eficiente que evite problemas futuros”, salienta.

Espaço acumula polêmicas há anos

O Mercadão Municipal foi ‘encampado’ pelo município desde 2009, ainda na gestão de Pedro Wosgrau (PSDB). O espaço foi demolido em março de 2019, já sob supervisão e responsabilidade da Tekla Engenharia. O contrato firmado em 2017 previa a construção da primeira fase do empreendimento em três anos e a entrega inicial aconteceria em 2020. No entanto, com a crise econômica e outros problemas, a empresa não desenvolveu a obra, fazendo apenas a demolição do espaço.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MAIS DE POLÍTICA

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DESTAQUES

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MIX

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE