WhatsApp Pay e o modelo de negócios do século XXI

Por Bruno Dreher


Quando assisti ao filme “A Rede Social”, que é baseado na criação do Facebook, uma das partes que mais chamou minha atenção foi a cena do jantar onde participavam o Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), Eduardo Saverin (Andrew Garfield) e Sean Parker (Justin Timberlake).
A grande discussão entre Zuckerberg e Saverin era a mesma que muitas startups têm nos dias de hoje: quando monetizar? E a sugestão do Sean Parker foi que monetizar com anúncios no início do negócio seria como terminar uma festa legal à s 22h.
Este é um problema que atinge a maior parte das empresas que eu conheço. A premissa do funcionamento de um negócio é que ele tenha uma quantidade de receitas que permitam a ela pagar suas obrigações com seus funcionários e que possam investir em patrimônio como computadores, imóveis, aplicações financeiras, filiais, etc.
O WhatsApp foi fundado em 2009 e, sem gerar praticamente nenhuma receita, foi vendida para o Facebook cinco anos depois por 16 bilhões de dólares. Veja bem: a empresa era um verdadeiro ralo de recursos financeiros. Durante cinco anos foram investidos milhões de dólares em pessoas, computadores, servidores e softwares sem gerar praticamente nenhuma receita. Como pode uma empresa que tem prejuízos de milhões de dólares valer tanto dinheiro?
A resposta: tendo usuários. A partir do momento em que a empresa possui milhões de usuários que geram quantidades imensas de dados, você pode conhecê-los a fundo e pensar em formas de oferecer serviços que façam sentido para eles. Aí sim é hora de gerar receitas. Há uma frase no mercado de inovação e tecnologia que diz que “Dados são o novo petróleo”.
Após 10 anos dando prejuízos, mas crescendo a sua base de dados exponencialmente, o WhatsApp finalmente lançou um produto que provavelmente irá lhe gerar bilhões em receitas, facilitando ainda mais a vida do usuário. Muitas pessoas fazem vendas por WhatsApp, conversando com seus clientes, mandando fotos dos produtos, negociando preços e condições. E quando o negócio é fechado, cria um boleto, manda um link para pagamento com cartão de crédito ou envia os dados bancários para depósito.
Agora, este processo ficará mais simples: fechado o negócio, o vendedor manda uma cobrança para o comprador que, com apenas poucos toques, irá autorizar a transferência, que será feita de forma automática e cobrada uma taxa de serviço das contas empresariais (contas pessoais serão grátis).
E o mais interessante: isso é lançado exatamente em um momento de crise sem precedentes, onde as pessoas buscam novas e melhores alternativas para suas necessidades. Demonstrando que as crises são, sim, aceleradoras das mudanças que podemos.
Nos últimos projetos que participei, sempre fui embaixador deste modelo de negócios e dizia: “Vamos oferecer os nossos produtos gratuitamente, aumentar a nossa base de clientes, conhecê-los e depois criar formas de monetizar” e sempre fui voto vencido.
No Brasil, é muito difícil encontrar investidores dispostos a fazer aportes de muito dinheiro, durante muito tempo, em algo que tem a geração de dados como seu maior objetivo por uma série de motivos que merecem um artigo específico.
Voltando à analogia do petróleo: primeiramente, as empresas devem extrair o petróleo do solo, mas ninguém compra petróleo bruto. Com o petróleo bruto em mãos, se entende quais derivados deverão ser produzidos para atender as necessidades dos clientes.
E na tecnologia não é diferente. Primeiro, as empresas investem na extração de dados para depois interpretá-los e entender quais produtos fazem sentido para os clientes. E as maiores empresas do mundo (Google, Facebook, Amazon, etc) estão aí para provar que este modelo não somente funciona, mas é o que dá os melhores retornos nos dias de hoje!

*Bruno Dreher é futurista pela Universidade Hebraica de Jerusalém (curso de inovação e futurismo mais prestigiado do mundo). Já prestou cursos chancelados por Harvard, Stanford e Dartmouth e exerceu cargos de liderança em grandes grupos de educação como Grupo A e Escola Conquer. 

Homem é flagrado com pistola em confusão no centro de PG

Homem é flagrado com pistola em confusão no centro de PG...

Carro fura preferencial e atinge motociclista no Lago de Olarias

Carro fura preferencial e atinge motociclista no Lago de Olarias...

Confira a Coluna RC desta sexta-feira (24-09)

Confira a Coluna RC desta sexta-feira (24-09)...

Confira seu horóscopo desta sexta-feira (24/09)

Confira seu horóscopo desta sexta-feira (24/09)...

Confira as vagas de emprego desta sexta-feira (24/09)

Confira as vagas de emprego desta sexta-feira (24/09)...

UEPG planta cerejeiras em homenagem a vítimas da Covid-19

UEPG planta cerejeiras em homenagem a vítimas da Covid-19...

Prefeitura sorteia veículos 0Km e prêmios em dinheiro

Prefeitura sorteia veículos 0Km e prêmios em dinheiro...

Jovem é ferido por golpes de faca ne região do Ouro Verde

Jovem é ferido por golpes de faca ne região do Ouro Verde...

UEPG realiza Vestibular de Primavera em formato inédito

UEPG realiza Vestibular de Primavera em formato inédito...

PG abre novo agendamento de 2ª dose da Coronavac

PG abre novo agendamento de 2ª dose da Coronavac...

PG será a “capital” da velocidade na terra do Paraná

PG será a “capital” da velocidade na terra do Paraná...

Verga mas não quebra

Verga mas não quebra...

Capa da edição desta sexta-feira (24/09/2021) do JM

Capa da edição desta sexta-feira (24/09/2021) do JM...

Paraná reforça cuidados com animais silvestres

Paraná reforça cuidados com animais silvestres...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS