PUBLICIDADE

Turismo do Paraná quer a volta do Horário de Verão

Entidades de turismo do Paraná, da Bahia e de Santa Catarina pedem o retorno do horário

Entidades defendem que a volta do horário de verão entre no debate das eleições 2022
Entidades defendem que a volta do horário de verão entre no debate das eleições 2022 -

O governo do presidente Jair Bolsonaro avalia a volta do Horário de Verão, encerrado em 2019. A possibilidade está sendo discutida no Ministério de Minas e Energia e no Palácio do Planalto. Adianta a Agência O Globo que neste momento, "há uma tendência de retorno do instrumento usado durante décadas para economizar energia elétrica". 

A retomada do horário especial, lançado em 1931 no governo de Getúlio Vargas, é uma bandeira histórica de entidades de turismo do Paraná, da Bahia e de Santa Catarina. Logo após o fim, a Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento e Similares do Paraná (Feturismo) e a Confederação Nacional de Turismo (CNTur) emitiram ofício ao Governo Federal lamentando a decisão.
Em 2020 e no ano passado, as entidades retomaram a luta, garantindo fôlego financeiro para o setor, um dos mais afetados pela pandemia coronavírus, "ainda que não reflita em economia de energia elétrica". No horário de verão, os relógios de algumas regiões do país são adiantados em uma hora, período extra do dia para receber turistas e clientes.
O litoral do Paraná se prepara para um verão histórico, impulsionado pelo controle do covid e as melhorias da infraestrutura turística - engorda da Praia de Matinhos e obras rodoviárias. "A volta do horário de verão hoje, deixou de ser apenas uma medida energética e científica, é uma medida social indispensável", afirma Fábio Aguayo, diretor da CNTur. 
O setor de gastronomia, lazer e entretenimento foi afetado diretamente com a supressão do horário de verão na temporada 2019/2020. No Paraná, a medida trouxe reflexos negativos nas cidades das duas costas do estado, na litorânea que depende essencialmente da alta temporada e Oeste, na orla do Lago Itaipu, onde está Foz do Iguaçu, segundo destino do Brasil que mais recebe turistas estrangeiros.
As entidades defendem que o horário de verão entre no debate das eleições 2022. "O momento é oportuno, para entendermos como pensam os candidatos a presidente da República, que é quem decide sobre esta questão. Muitos do nosso setor ainda não voltaram devido à crise financeira dos períodos fechados e das restrições da pandemia", completou Aguayo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MAIS DE COTIDIANO

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DESTAQUES

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

MIX

HORÓSCOPO

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE