Cesáreas reduzem para 20% dos partos no Regional

Ponta Grossa

14 de novembro de 2017 16:00

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Jovem morto foi recordista do vestibular da UEPG

Rangel sanciona política que incentiva participação de jovens na política

Prefeitura irá normalizar trânsito na Comendador Miró ainda hoje

Unicesumar inaugura hoje campus em PG
Fio em via pública provoca acidente no Nova Rússia
Acontece hoje em PG a exposição "Features”
'Planejamento' finaliza projetos de revitalização de ruas centrais
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O momento do parto pode ser motivo de insegurança para algumas mulheres. Desde a criação da maternidade do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU), o trabalho dos enfermeiros e médicos tem sido o de transmitir orientações às gestantes e estimular o parto humanizado.

O resultado é a redução significativa do número de cesáreas, que girava em torno de 30% a 40%, e caiu para 22% em outubro. Os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde sobre partos no Sistema Único de Saúde (SUS) indicam percentual de 40,2% de cesarianas em 2015.

O pré-parto no HU busca o máximo conforto da gestante, trazendo relaxamento e auxiliando na dilatação da maneira mais natural possível. A sala em que as futuras mães se preparam para o nascimento tem equipamentos, como um bola, um cavalinho e um banquinho, que auxiliam nesse processo. Se desejarem, as gestantes podem tomar banho e caminhar. “Não temos pressa para o nascimento do bebê, ele precisa acontecer no momento certo”, afirma a enfermeira obstetra Regiane Hoeldtke, coordenadora da Maternidade e Clínica Obstétrica.

O hospital também incentiva a presença de doulas, inclusive fornecendo um curso gratuito para mulheres que desejam exercer a função. A palavra doula vem do grego ‘mulher que serve’, o curso forma mulheres que dão suporte físico e emocional a outras mulheres antes, durante e após o parto. A doula se encarrega de suprir a demanda da gestante por emoção e afeto. A cesárea é indicada apenas em casos emergenciais ou de intercorrências.

A gestação de alto risco costuma ser um impedimento para algumas mulheres que desejam o parto normal, mas nem sempre deve ser assim. Segundo Maria Helena Ricken, enfermeira obstetra da Rede Mãe Paranaense no HU, muitas mulheres chegam com a cultura de que esses casos precisam de cesariana. “Depois de receberem as orientações, elas ficam bem mais tranquilas”, afirma.

Além de avaliar as gestantes, Maria Helena entrega a elas cartilhas que indicam os cuidados gestacionais e com o bebê. Ela ressalta que o hospital tem a infraestrutura necessária para atender a gestações de alto risco, além de disponibilizar consultas médicas e de enfermagem. “Um pré-natal de qualidade pode garantir um parto normal e seguro, independente do risco”, conclui Maria Helena.

Redução faz parte de política de humanização

O diretor do HU, Everson Augusto Krum, reforça que a redução do número de cesáreas faz parte de uma política da humanização do hospital. “Quando abrimos a Maternidade, suprindo uma situação emergencial do município, ainda não havia um conhecimento pleno entre as equipes, situação que foi rapidamente superada, com a realização de cursos, treinamentos e troca de experiências”, disse. “Os índices de cesáreas foram caindo gradativamente e servirão de objeto de estudos para acadêmicos e residentes do HU”.

Nesse processo, Krum destaca a importante parceria com a Justiça Federal e o Ministério Público Federal, que através do juiz Antônio Cesar Bochenek e do procurador da República, Osvaldo Sowek Júnior, destinaram recursos ao HU e possibilitaram a aquisição dos aparelhos que estimulam a realização do parto normal. “É uma situação que demonstra a participação fundamental de outros órgãos do poder público, na melhoria da qualidade do atendimento à população”, comenta, observando que hoje o hospital, e especialmente a Maternidade, recebe contribuições de várias entidades e organizações, melhorando as condições das mães e dos recém-nascidos.

 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização