Construção de anexo à Câmara pode custar R$ 3 mi | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Construção de anexo à Câmara pode custar R$ 3 mi

Ponta Grossa

11 de outubro de 2017 21:30

Stiven de Souza

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Briga de vizinhas acaba com mulher esfaqueada

Carro fica destruído após bater em caçamba

Taxista reage a assalto, pega faca e mata ladrão em PG

‘Farmácia do Paraná’ em PG beneficiará 6,5 mil pessoas
Guarda Municipal recupera motocicleta furtada
Menino esfaqueado pelo padrasto recebe alta
Vereadores votam resolução de descontos salariais
Obras podem custar até R$ 3 milhões, segundo Presidência/Foto: Arquivo JM/aRede
PUBLICIDADE

As obras para a construção de um novo prédio anexo à Câmara de Ponta Grossa podem custar R$ 3 milhões. A estimativa é do presidente do Legislativo, Sebastião Mainardes (DEM). De acordo com o vereador, o valor ainda não está definido, já que um projeto arquitetônico deverá ser desenvolvido. “Serão cerca de 1.300 metros quadrados de área construída, o que deve custar, no máximo, R$ 3 milhões” afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã e portal aRede

O primeiro passo para tornar o novo prédio realidade foi dado na última terça-feira (10) pelos vereadores que compõe a Mesa Executiva. A Câmara Municipal tornou público um edital para a contratação de serviços de engenharia de arquitetura, no valor máximo de R$ 140 mil. O valor é referente ao projeto que deverá ser elaborado para o anexo à sede do Poder Legislativo do município, localizado na Avenida Visconde de Taunay, no bairro Ronda. A contratação será feita em uma tomada de preço, que será realizada no plenário da Câmara no dia 1º de novembro. 

A ampliação do prédio é uma das bandeiras antigas da gestão de Mainardes. Desde que assumiu a Presidência da Casa, em janeiro de 2015, o vereador tem defendido as obras. A alegação dos vereadores que apoiam a construção é de que o espaço atual não foi projetado para comportar 23 vereadores e, hoje, há gabinetes improvisados até no subsolo do prédio, próximo ao almoxarifado. A intenção inicial da Presidência era usar um projeto antigo de ampliação, que está nos arquivos da Câmara, para economizar com a engenharia. “Vimos que este projeto estava defasado. Como era um projeto antigo, ele não atendia as normas atuais, não tinha nem acessibilidade”, disse Mainardes. 

No antigo projeto, o anexo seria construído aos fundos da Câmara, onde hoje fica parte do estacionamento. Com a abertura da licitação, o local da nova estrutura ainda é incerto. “Não sabemos como vai ser porque depende de como os engenheiros vão fazer isso. Mas o tamanho deve ser este, de 1.300 metros”, confirmou.  

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização