Rapaz é preso dois anos após romper tornozeleira | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Rapaz é preso dois anos após romper tornozeleira

Ponta Grossa

06 de outubro de 2017 10:53

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Briga de vizinhas acaba com mulher esfaqueada

Carro fica destruído após bater em caçamba

Taxista reage a assalto, pega faca e mata ladrão em PG

‘Farmácia do Paraná’ em PG beneficiará 6,5 mil pessoas
Guarda Municipal recupera motocicleta furtada
Menino esfaqueado pelo padrasto recebe alta
Vereadores votam resolução de descontos salariais
PUBLICIDADE

Suspeito foi encontrado no Jardim Bela Vista nesta quinta-feira, mais de dois anos depois de romper tornozeleira eletrônica

A Polícia Militar prendeu nesta quinta-feira (5) um rapaz de 24 anos que estava há mais de dois anos com a tornozeleira eletrônica rompida. Rafael Oliveira do Nascimento foi encontrado no Jardim Bela Vista, responde processo por roubo e chegou a ficar em regime fechado, mas recebeu o benefício da liberdade assistida por meio do monitoramento com o equipamento. No entanto, há mais de dois anos, ele estava bêbado e rompeu o lacre da tornozeleira.

Em entrevista ao Programa COP, Nascimento informou que foi condenado a cinco anos e quatro meses de prisão pelo crime de roubo e ficou oito meses no regime fechado, mais quatro meses no semiaberto. Depois disso, ele conseguiu o direito à liberdade assistida, mas rompeu a tornozeleira em uma noite depois de beber demais, segundo relato do próprio. Depois disso, ele disse ainda que ficou esperando alguma autoridade busca-lo, mas como ninguém apareceu, seguiu com a vida.

Ele disse ainda que pensou em procurar o Fórum para regularizar sua situação, mas descobriu que tinha um mandado de prisão em aberto e desistiu. Ele foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil e deveria ser conduzido à Cadeia Pública Hildebrando de Souza para cumprir novamente em regime fechado.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização