Foragida há 22 anos, 'Viúva Negra' é presa em PG

Ponta Grossa

05 de outubro de 2017 17:16

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Inscrições para vestibular da FACPG terminam hoje

Vendas do comércio de PG crescem 0,71% em outubro

Polícia flagra adolescente de 15 anos pilotando moto

Carro furtado de residência é recuperado pela PM
PM recupera 28 toneladas de defensivos agrícolas
Walmart pode ser multado por abandono de prédio
Empresas investirão R$ 2,5 mi no Parque de Confecções
Mulher mandou matar o marido em 1995, em São Paula, e fugiu da cadeia no mesmo ano/Foto: Polícia Civil
PUBLICIDADE

Em operação Conjunta, a Polícia Civil de São Paulo, através da Delegacia de Polícia de Investigações sobre Extorsão Mediante Sequestro de Campinas (DEAS), e a Polícia Civil do Paraná, prenderam Lúcia de Fátima Dutra Weisz, de 61 anos de idade em Ponta Grossa. A foragida ficou conhecida como “Viúva Negra”e foi presa na tarde desta quinta-feira (5), no bairro Nova Rússia.

Em 12 de março de 1995, na Cidade de Americana (SP), Lúcia de Fátima Dutra Weisz, então com 39 anos de idade, mandou assassinar seu marido, o direito de banco Gavril Weisz, na época com 41 anos, para tanto contou com a ajuda de sua empregada doméstica à época Valdelaine Pereira.

Em 20 de dezembro de 1995, Lúcia de Fátima Dutra Weisz foi resgatada da Cadeia Pública de Sumaré (SP), permanecendo foragida desde então. Em 22 de abril de 2010, ela foi condenada a 14 anos de reclusão pelo homicídio qualificado de seu marido.

O caso teve repercussão nacional, tendo a imprensa a divulgar Lúcia pela alcunha de Viúva Negra que era procurada também pela Interpol. Trata-se, possivelmente, da mulher que ficou mais tempo foragida no país.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização