IML identifica rapaz morto ao defender mulher de estupro

Ponta Grossa

05 de outubro de 2017 13:41

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

“Não vamos deixar a Taxa do Lixo explodir”, diz George

Dados da OMS reforçam importância do Instituto do Câncer

Após ‘derrota do governo’, Aliel pede atenção com projetos

Duas crianças ficam feridas em cruzamento
PRF apreende carreta com cigarros em PG
AMTT bloqueia trânsito para obras na Rua do Rosário
Prefeitura inicia aceleradora de negócios na próxima semana
/Foto: Reprodução/Facebook
PUBLICIDADE

Paulo Cesar Batista da Costa, de 29 anos, caminhava com amiga às margens da Avenida Souza Naves, quando foi abordado pelo bandido. Homem reagiu e levou dois tiros no peito.

O Instituto Médico-Legal (IML) identificou o homem morto em Ponta Grossa na noite de quarta-feira (04) enquanto defendia uma mulher de um estupro. Paulo Cesar Batista da Costa, de 29 anos, foi baleado duas vezes no peito e chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o casal de amigos caminhava às margens da Avenida Souza Naves quando foi surpreendido por um bandido armado. Ele arrastou os dois para um matagal, estuprou a jovem e atirou contra Paulo Cesar.

A PM informou que o autor do crime tem aproximadamente 50 anos. Ele teria apontado a arma para a cabeça da mulher, tirado a roupa dela e iniciado o estupro. Paulo Cesar reagiu e lutou com o criminoso, mas levou dois tiros no peito.

O bandido fugiu com a bicicleta de uma das vítimas e abandonou a arma. A mulher foi encaminhada para realizar exames médicos e laudo pericial no Pronto Socorro Municipal (PSM), enquanto Paulo Cesar foi levado às pressas para a Santa Casa de Misericórdia. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois.

A polícia segue mobilizada em busca do paradeiro do criminoso, que deverá responder por latrocínio e estupro. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização