Em novo áudio, PCC promete vingar morte de ‘irmão’

Ponta Grossa

11 de agosto de 2017 14:05

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Debate sobre ideologia de gênero reúne líderes religiosos na Câmara

Lago de Olarias vira balneário e preocupa Prefeitura e Bombeiros

Sala do Empreendedor formaliza 1,3 mil MEIs e atende 43 mil pessoas

Plauto Miró garante mais de R$ 11 milhões em recursos
Preços de produtos de Natal têm diferença de até 133%
Santa Casa completa 105 anos e homenageia Sandro Alex
Brauns inaugura microcervejaria de R$ 1 mi
PUBLICIDADE

As autoridades do setor de segurança pública em Ponta Grossa investigam um novo áudio que, suspostamente, foi emitido por membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Divulgado no início desta sexta-feira (11), o áudio seria mais uma resposta dos membros da organização após a morte de Vinício de Jesus Leme, 25 anos, integrante da facção que morreu em confronto com a Polícia Militar.

A reportagem do portal aRede e do Jornal da Manhã consultou as autoridades responsáveis pela investigação – diligências em diversas instituições já buscam identificar o autor do áudio. Na mensagem de voz, um suposto integrante do PPC diz: “Vamos dar um salve geral para a rapaziada, irmãos que estão entocados, hoje o bagulho vai ficou louco, tem todo o amparo legal, vamos seguir na caminhada. Se um foi pra vala vamos julgar a morte do parceiro e do irmão, juntos somos fortes”, afirma o suposto integrante do PCC.

Na linguagem utilizada pelo PCC, maior organização criminosa do Brasil, o ‘salve geral’ seria uma espécie de convocação para o confronto.

Membro da organização morreu em tiroteio na Cipa

Vinício de Jesus foi morto em confronto com a Polícia Militar, na tarde de quinta-feira (10), na Vila Cipa, em Ponta Grossa, é um dos envolvidos na grave ocorrência no Boteco da Visconde, conhecido ponto de encontro dos ponta-grossenses – o rapaz era foragido da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa (PEPG).

De acordo com as informações da Polícia Militar, com a aproximação de viaturas e de policiais à residência na Rua Thaumaturgo de Azevedo, local do confronto, Vinício usou um revólver calibre 38. Os policiais revidaram e o atingiram – ele estava no interior do imóvel quando foi baleado e morto.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização