Atendimento com esgoto passa de 90% em PG

Ponta Grossa

17 de julho de 2017 19:00

Daniel Petroski

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Vídeo mostra agressão sofrida por massoterapeuta

Suspeito de matar massoterapeuta é preso em PG

Inadimplência no IPTU chega aos 35% em PG

Município tenta encontrar equilíbrio financeiro
PG vai revisar planta genérica para incrementar IPTU
Postos já vendem combustíveis mais caros em PG
Câmera flagra fuga de bandidos após roubo de malote
/Foto: Divulgação/Aen
PUBLICIDADE

De março de 2011 a 2017, o Índice de Atendimento com Rede Coletora de Esgoto (Iarce) evoluiu de 84,8% para 90,3% em Ponta Grossa, sendo que 100% do esgoto coletado é tratado. Para atender aos 120,8 mil de imóveis, o município conta com nove estações de tratamento e 1.538 quilômetros de redes. O número é superior à média estadual. Em igual período de análise, esse resultado passou de 60% para 70% no Paraná - mais 813 mil imóveis foram integrados ao sistema operado pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Hoje, 2,656 milhões de imóveis têm o esgoto coletado e tratado.

De maneira geral, com recursos arrecadados pela tarifa paga pelos clientes, entre outros, a Sanepar aplicou no Estado R$ 2,1 bilhões em obras de ampliação da rede coletora e de tratamento desde 2011. O volume global do investimento no mesmo período supera os R$ 4 bilhões. A Companhia prevê que até o fim de 2018 destinará mais R$ 1,5 bilhão em empreendimentos para melhorar os sistemas de água e de esgoto do Paraná. “Enquanto a situação do saneamento no resto do Brasil é difícil, o Governo do Paraná garante a solidez da Sanepar, que continua investindo em infraestrutura e ampliando o número de clientes atendidos”, destaca o presidente da empresa, Mounir Chaowiche.

Nessa linha ainda, Chaowiche salienta que o Estado tem posição de destaque no cenário nacional. “Há anos, 100% dos moradores das áreas urbanas têm acesso à água tratada e hoje 70% têm o sistema de coleta de esgoto instalado na porta de sua casa. Isto não é pouco, principalmente quando comparados aos indicadores nacionais”, reforçou. “Ao cuidar do meio ambiente, valorizamos nossa principal matéria-prima e fortalecemos a convicção de que as ações de sustentabilidade expressam a condição inequívoca de empresa ambiental com vocação ao saneamento”, finalizou Chaowiche.

Para atender os 2,656 milhões de domicílios, o sistema de esgoto em operação no Paraná conta com 239 estações de tratamento e 33.242 quilômetros de rede. Para assegurar sustentabilidade ao serviço, comente em 2016 foram realizadas nos laboratórios da empresa cerca de 45 mil análises para confirmar que o efluente do esgoto tratado está retornando ao meio ambiente em conformidade com a legislação.

Análise mundial

A água própria para consumo ainda é um sonho para três em cada dez pessoas em todo o mundo, segundo novo relatório do Fundo Mundial para a Infância (Unicef) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). No documento, o número dobra quando se trata de esgoto: 4,5 bilhões carecem de saneamento gerenciado de forma segura. No Paraná a situação é bem diferente. De acordo com a Sanepar, a empresa oferece água tratada a 100% dos clientes nos municípios que atende e a cobertura de esgoto no Estado chega a 70%.

PG se destaca em ranking nacional

De acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), Ponta Grossa aparece na 7ª posição entre as cidades do Brasil com as melhores condições de saneamento. Os dados, divulgados em janeiro deste ano, são de 2015 e mostram que 50,3% da população brasileira não tem acesso à coleta de esgoto. Em 2017, a Lei do Saneamento Básico completa dez anos desde que entrou em vigor. 

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização