Massoterapeuta morto em PG recebe homenagem no FUC

Ponta Grossa

16 de julho de 2017 16:30

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Vídeo mostra agressão sofrida por massoterapeuta

Suspeito de matar massoterapeuta é preso em PG

Inadimplência no IPTU chega aos 35% em PG

Município tenta encontrar equilíbrio financeiro
PG vai revisar planta genérica para incrementar IPTU
Postos já vendem combustíveis mais caros em PG
Câmera flagra fuga de bandidos após roubo de malote
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O acadêmico de licenciatura em Geografia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o massoterapeuta Sandro Murilo Pedrozo, foi homenageado, no sábado (15), em ato que abriu a final do 30° Festival Universitário da Canção (FUC). Sandro faleceu aos 52 anos, na última quinta-feira (13), após 25 dias em coma em hospital de Ponta Grossa. Ele foi vítima de agressão nas imediações do Campus Central da UEPG, em 18 de junho. O fato teve repercussão nacional, como mostraram manchetes de jornais e portais de notícias, projetados em telão no palco do Ópera. Os agressores ainda não foram identificados. A polícia suspeita de crime de homofobia.

A morte de Sandro Pedrozo consternou a comunidade acadêmica e o meio cultural de Ponta Grossa, que na homenagem prestada neste sábado, além de justiça na punição dos culpados, pediu um basta à intolerância. Mensagem esta expressa nos versos da canção “O amor está em todo lugar”, do ponta-grossense Alexandre Mello, participante da fase regional do 30° FUC. “Estenda mão quando for preciso, não trate outro como um inimigo mortal. Abra as portas pro mundo e deixe que o mundo te veja como realmente é. O amor está em todo lugar”.

O coordenador do 30° FUC, Wilton Correia Paz, destacou que o respeito à diversidade está consignado no princípio fundamental da UEPG, expresso em seu Estatuto: “Respeito à dignidade humana e aos direitos fundamentais, proscrevendo os tratamentos desiguais por motivo de convicção filosófica, política ou religiosa e por preconceitos de classe e de raça”.

 Entre seus princípios, a instituição preceitua ainda o “respeito à diversidade e pluralidade de pensamento, priorizando o diálogo permanente com todas as instâncias constitutivas da comunidade universitária”; e a “defesa intransigente de seu mais precioso ativo: a diversidade interna, que corresponde às diferenças dos seus objetos de trabalho – cada qual com uma lógica própria de docência e de pesquisa –, de suas visões de mundo e dos valores que pratica”.

Discursos

No seu pronunciamento, no encerramento do festival, o reitor Carlos Luciano Sant’Ana Vargas lamentou a morte do acadêmico da instituição, sobretudo pela violência cometida, privando da vida uma pessoa que, nos seus atos, trazia sempre a mensagem do amor.

Os sentimentos à família de Sandro Pedrozo também foram transmitidos pela vice-prefeita de Ponta Grossa, professora Elizabeth Schimidt. Ela se referiu à cultura como uma forma de se mostrar que, verdadeiramente, o amor está em todo o lugar.

No palco

Na homenagem a Sandro Pedrozo todos os colaboradores, voluntários e músicos participantes do 30° FUC subiram ao palco empunhando a bandeira do Arco-Íris, símbolo mundial do orgulho, do reconhecimento e da cultura LGBT, que foi desfraldada no acesso principal do Campus Centra (Bloco A) da UEPG, em 28 de junho, Dia Mundial do Orgulho Gay. Desenhada pelo artista plástico Gilbert Baker, em 1977, a bandeira LGBT é composta por listas de seis cores diferentes (roxo azul, verde, amarelo, laranja e vermelho), semelhantes à do arco-íris. Estas cores representam a diversidade humana.

 

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização