Prefeitura estuda terceirizar Centro de Eventos de PG

Ponta Grossa

14 de julho de 2017 18:42

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Durante recesso, deputados intensificam agenda na região

Paróquias de PG abrem inscrições para cursinho pré-vestibular

Azul altera horários e reduz frequência de voos em PG

Homem conta em vídeo como matou Juliana
Lions realiza Feijoada Beneficente neste sábado
Matador de Juliana deixa local do crime com tranquilidade
Procurador lamenta decisão sobre transparência sindical
PUBLICIDADE

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) estuda a terceirização do Centro de Eventos da cidade. A informação foi confirmada pelo procurador geral do município, Marcus Vinícius Freitas, e atualmente a proposta passa por estudos na Fundação Municipal de Turismo (Funtur), presidida pela vice-prefeita Elizabeth Schimidt (PSB). A proposta de terceirização do espaço deve ser encaminhada ao Legislativo Municipal ainda no segundo semestre.

Segundo o procurador geral, o Centro de Eventos tem um custo elevado aos cofres públicos municipais e a proposta é que uma empresa assuma a concessão do local por pelo menos 10 anos. “Vamos propor que uma entidade privada explore o local comercialmente, realize melhorias e avanços permanentes e arque com os custos de manutenção do espaço”, explicou Marcus Vinícius.

Dados fornecidos pela assessoria da Prefeitura dão conta que os custos com conta de água e luz do Centro de Eventos giram em torno de R$ 450 mil por ano – a média é de um custo mensal de R$ 30 mil, mas o consumo de energia e água cresce em meses com eventos tradicionais, como é o caso da Münchenfest e da Efapi. Além disso, soma-se ao custo de manutenção o pagamento de guardas municipais (GMs) que fazem a segurança do local e outros servidores que atuam no Centro de Eventos.

A reportagem apurou que a concessão estudada para o Centro de Eventos seria de, pelo menos, uma década e seguiria os moldes da parceria público-privada (PPP) feita para revitalizar o Mercado Municipal. “Entendemos que o local pode ter uma exploração comercial muito melhor e de quebra receber investimentos da iniciativa privada como contrapartida”, explicou o procurador.

A proposta segue em estudo no Executivo e será enviada à Câmara de Vereadores ainda durante o segundo semestre. Caso seja aprovada, uma licitação deverá ser aberta para que empresas concorram e façam propostas que assumir a concessão do local. O valor previsto de investimentos também é outro quesito que ainda está sendo estudado pela equipe da Fundação de Turismo.

Vereador propõe destinação de verba para o SOS

Com o projeto de lei 171/2017, o vereador Ricardo Zampieri (SD) quer aumentar a receita do Centro de Eventos de Ponta Grossa e destinar os recursos ao Serviço de Obras Sociais (SOS). Atualmente a única renda do espaço é por meio da taxa de serviço e Zampieri propõe que todo evento com fins lucrativos, como os shows privados, por exemplo, que sejam realizados no local tenham 10% de toda receita repassado para o SOS, incluindo os valores arrecadados na bilheteria, no estacionamento, além da taxa de serviço. 

“O Serviço de Obras Sociais é importante entidade de nossa cidade encarregada em atender as pessoas que mais precisam de assistência, a parcela mais frágil da sociedade que necessita de atenção”, defende Zampieri. A proposta do vereador é uma das ações voltadas a incrementar a receita oriunda do Centro de Eventos e prevê equilibrar o saldo financeiro do espaço, equalizando receitas e despesas.

O quê

Diante da defasagem de prédios públicos importantes e de áreas subutilizadas pelo município, especialistas apontam as parcerias ‘público-privadas’ como o melhor caminho para avançar nesse cenário. Assim como a revitalização do Mercado Municipal, a Prefeitura estuda outras ações do tipo em parceria com a iniciativa privada. A Estação Saudade, por exemplo, também foi concedida diante da possibilidade de investimentos por parte da Federação do Comércio do Paraná (Fecomercio).

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização