Vereadores legitimam "morte de bandido"

Ponta Grossa

10 de julho de 2017 18:30

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Carga apreendida pela PRF passa de R$ 2 mi

Receita de PG tem alta de 16% e soma R$ 730 mi

Núcleo 31 de março terá obras da AMTT

Complexo soja de PG exporta R$ 3,14 bilhões em produtos
Câmara de PG retoma debate sobre fim da isenção de ISS
Vereador quer IPTU mais barato para ruas sem asfalto
Zampieri e deputados discutem emendas para PG
PUBLICIDADE

Os membros da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) repercutiram os casos registrados no setor da segurança pública da cidade no último final de semana. Os vereadores Florenal (PODEMOS) e Eduardo Kalinoski (PSDB) usaram a tribuna para falar sobre o assunto. O mote para a fala dos parlamentares foi o sequestro de um policial militar que terminou com uma pessoa morta e outra gravemente ferida na última sexta-feira (7).

O primeiro a usar a tribuna para falar do assunto foi Florenal. Morador e empresário do bairro de Uvaranas, o parlamentar citou os casos de violência da região que, na visão do parlamentar, tem crescido. Na tribuna da Casa de Leis, Florenal falou sobre o confronto entre o policial e os dois sequestradores. “Infelizmente um ficou vivo e está tomando a vaga de um cidadão de bem no hospital”, afirmou o vereador na tribuna.

Referindo-se a um projeto de lei que estava na pauta, o vereador do Podemos afirmou ainda que o policial envolvido deveria ser homenageado. “O primeiro homenageado vai ser esse policial”, contou o parlamentar. Na sequência, Eduardo Kalinoski (PSDB) usou a tribuna para discutir vários assuntos, entre eles os casos que repercutiram no setor de segurança pública da cidade.

Kalinoski se disse indignado com as pessoas “que dizem defender os direitos humanos”. “Esse fato se difundiu nas redes sociais, pessoas questionando como o militar poderia ter atirado no bandido, pessoas defendendo esses vagabundos. Que peguem e que levem para a casa então”, contou vereador na tribuna. Eduardo ganhou o apoio de Florenal que disse que “se fossem uma pessoa de bem, eles teriam mandato”, disse o parlamentar do PTN.

O projeto citado por Florenal prevê que policiais militares, civis e guardas municipais recebam homenagens no Legislativo. A proposta foi aprovada em primeira discussão e deverá ser novamente avaliada pelo Plenário da Casa de Leis na sessão da próxima quarta-feira (12).

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização