Sandro Alex pede prisão de Aécio e renúncia de Temer

Ponta Grossa

18 de maio de 2017 14:21

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Hotel Ramada Encore será lançado nesta quinta em PG

Cescage encerra inscrições para Vestibular de Inverno nesta quarta

Evento sobre Justiça Restaurativa recebe pesquisadora norte-americana

Chefe do Estado Maior do Exército visita PG
PG inicia atividades do 'Escolinha de Trânsito'
PG terá gasolina a R$ 2,50 em dia de protesto
Grupo é denunciado por morte e corrupção de menor
Sandro afirmou que Governo Temer é insustentável e exigiu renúncia do presidente/Imagem: Agência Câmara
PUBLICIDADE

Deputado federal se disse “alarmado” com as informações divulgadas pelo jornal O Globo. Na visão de Sandro, Governo Temer é “insustentável”

O deputado federal Sandro Alex (PSD) se disse “alarmado” com as denúncias apresentadas pelo jornalista Lauro Jardim do jornal O Globo. Procurado pela reportagem, Sandro afirmou que o governo do presidente é “insustentável” e defendeu o renúncia “imediata” do presidente Michel Temer (PMDB). Já sobre o senador afastado Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, Sandro afirmou que Aécio “deveria ser preso”.

O parlamentar se disse “surpreendido, assim como todos os brasileiros”, diante das informações divulgadas nacionalmente nas últimas horas. Sandro lembrou que em um primeiro momento cobrou o posicionamento oficial do Procurador Geral da República, Edson Fachin, e também do Supremo Tribunal Federal (STF). “Acho que as gravações devem vir a público para que a nação saiba do teor”, afirmou Sandro.

Com o partido integrando a base do Governo Temer no Congresso, Sandro afirmou que assim que as gravações forem divulgadas, espera a saída imediata do partido da base. “Essa situação é muito semelhante as gravações que mostravam Lula e Dilma e deram força ao impeachment da agora ex-presidente, acredito que o Governo Temer acabou e não há mais condições de continuar”, comentou o parlamentar do PSD.

Sobre as acusações e suspeitas contra o senador Aécio Neves (PSDB), Sandro foi enfático: “Ele [Aécio] deveria estar preso”. Na visão do deputado federal, a situação de Aécio é insustentável política e juridicamente. “Continuo defendendo a investigação sobre todos os envolvidos e a punição dos culpados, mas ao contrário dos petistas eu não vou sair para a rua defender o Aécio, quero a prisão dele”, afirmou Sandro Alex.

Pressão no julgamento de Cunha

Vice-presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados durante as investigações que apuraram a conduta do agora ex-deputado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Sandro afirmou “já saber” da preocupação que envolvia o ex-deputado do PMDB. “Desde o Conselho de Ética, nós vimos uma pressão muito grande e uma movimentação no Palácio do Planalto quando se falava no nome do Cunha”, lembrou Sandro.

Saída constitucional

Ao defender a saída imediata de Michel Temer (PMDB) do posto mais alto da república, o deputado Sandro Alex (PSD) afirma que ainda é cedo para apontar uma saída. O parlamentar lembra que a saída constitucional seria a eleição indireta de um presidente até 2018, mas ressalta que “diante da opinião pública o Congresso não tem essa condição” e lembrou que “mais da metade dos deputados” está “delatada” e já foi citada nas investigações. 

Base governista

Integrante da base do Governo no Congresso, Sandro Alex (PSD) ressaltou que fazia parte de uma “base de sustentação ao Brasil” e que buscava saídas para a retomada do crescimento. O parlamentar reafirmou que o partido ainda deve se manifestar oficialmente, mas a expectativa é que o PSD e seus parlamentares “desembarquem” do Governo Temer nas próximas horas.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização