Sandro Alex pede prisão de Aécio e renúncia de Temer | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Sandro Alex pede prisão de Aécio e renúncia de Temer

Ponta Grossa

18 de maio de 2017 14:21

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Acidente deixa uma pessoa ferida na Dom Geraldo Pellanda

GM prende traficante ‘reincidente’ no Centro de PG

Comércio vira alvo fácil para bandidos em PG

Dupla se dá mal após roubo em PG
Casa fica destruída após incêndio no centro de PG
PM rastreia celular em PG e descobre receptador
Fim de namoro termina com prisão em PG
Sandro afirmou que Governo Temer é insustentável e exigiu renúncia do presidente/Imagem: Agência Câmara
PUBLICIDADE

Deputado federal se disse “alarmado” com as informações divulgadas pelo jornal O Globo. Na visão de Sandro, Governo Temer é “insustentável”

O deputado federal Sandro Alex (PSD) se disse “alarmado” com as denúncias apresentadas pelo jornalista Lauro Jardim do jornal O Globo. Procurado pela reportagem, Sandro afirmou que o governo do presidente é “insustentável” e defendeu o renúncia “imediata” do presidente Michel Temer (PMDB). Já sobre o senador afastado Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, Sandro afirmou que Aécio “deveria ser preso”.

O parlamentar se disse “surpreendido, assim como todos os brasileiros”, diante das informações divulgadas nacionalmente nas últimas horas. Sandro lembrou que em um primeiro momento cobrou o posicionamento oficial do Procurador Geral da República, Edson Fachin, e também do Supremo Tribunal Federal (STF). “Acho que as gravações devem vir a público para que a nação saiba do teor”, afirmou Sandro.

Com o partido integrando a base do Governo Temer no Congresso, Sandro afirmou que assim que as gravações forem divulgadas, espera a saída imediata do partido da base. “Essa situação é muito semelhante as gravações que mostravam Lula e Dilma e deram força ao impeachment da agora ex-presidente, acredito que o Governo Temer acabou e não há mais condições de continuar”, comentou o parlamentar do PSD.

Sobre as acusações e suspeitas contra o senador Aécio Neves (PSDB), Sandro foi enfático: “Ele [Aécio] deveria estar preso”. Na visão do deputado federal, a situação de Aécio é insustentável política e juridicamente. “Continuo defendendo a investigação sobre todos os envolvidos e a punição dos culpados, mas ao contrário dos petistas eu não vou sair para a rua defender o Aécio, quero a prisão dele”, afirmou Sandro Alex.

Pressão no julgamento de Cunha

Vice-presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados durante as investigações que apuraram a conduta do agora ex-deputado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Sandro afirmou “já saber” da preocupação que envolvia o ex-deputado do PMDB. “Desde o Conselho de Ética, nós vimos uma pressão muito grande e uma movimentação no Palácio do Planalto quando se falava no nome do Cunha”, lembrou Sandro.

Saída constitucional

Ao defender a saída imediata de Michel Temer (PMDB) do posto mais alto da república, o deputado Sandro Alex (PSD) afirma que ainda é cedo para apontar uma saída. O parlamentar lembra que a saída constitucional seria a eleição indireta de um presidente até 2018, mas ressalta que “diante da opinião pública o Congresso não tem essa condição” e lembrou que “mais da metade dos deputados” está “delatada” e já foi citada nas investigações. 

Base governista

Integrante da base do Governo no Congresso, Sandro Alex (PSD) ressaltou que fazia parte de uma “base de sustentação ao Brasil” e que buscava saídas para a retomada do crescimento. O parlamentar reafirmou que o partido ainda deve se manifestar oficialmente, mas a expectativa é que o PSD e seus parlamentares “desembarquem” do Governo Temer nas próximas horas.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização