Homem esfaqueado pela mulher morre no hospital

Ponta Grossa

17 de abril de 2017 09:21

Rodrigo de Souza

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Briga entre parentes em PG acaba com um preso

Motorista bêbado capota na Souza Naves e é detido

Grande incêndio destrói casa e deixa casal desabrigado

Preço dos combustíveis deve cair até sexta
Construção de rotatórias em viaduto entra na reta final
PG cria grupo de análise das mudanças da Reforma Trabalhista
Shoppings e mercados abrem em horário especial nesta quarta-feira
PUBLICIDADE

Jackson Luiz Ferreira, de 25 anos, foi atingido por facada nas costas após discussão com a esposa. À polícia, suspeita confessou crime e disse que agiu para se defender.

Uma discussão entre marido e mulher terminou em tragédia durante o domingo (16) em Ponta Grossa. Jackson Luiz Ferreira, de 25 anos, morreu no hospital após ser atingido por uma facada, desferida pela própria esposa, na região do bairro Boa Vista. À Polícia Civil, Juliana Cristina da Silva, de 25 anos, disse que agiu para se defender das agressões do marido.

Em entrevista, Juliana afirmou que estava conversando com o ex-marido e primo de Jackson em frente ao portão da residência na manhã de domingo. “Ele chegou em casa alcoolizado e me viu conversando com o primo dele. Ficou com ciúmes, me puxou pelo cabelo e começou a me agredir”, descreve. Juliana conta que também estava alcoolizada – os dois haviam bebido juntos em uma festa – e que viu o primo de Jackson ir embora sem acionar a polícia. “Ele [primo] me viu apanhando e sumiu sem me ajudar”, disse.

A suspeita chegou a negar o crime na delegacia, mas acabou confessando o caso durante depoimento na 13ª Subdivisão Policial (SDP). “Ele nunca me bateu antes e não era agressivo, mas, na crise de ciúmes, me enforcou e me jogou contra a pia. Eu já estava sem ar e ia morrer, então peguei uma faca e dei nele”, descreve. O golpe acertou as costas de Jackson.

A própria mulher acionou o socorro do Corpo de Bombeiros e também a Polícia Militar (PM). Jackson foi levado ao Hospital Universitário (HU) Regional dos Campos Gerais com ferimentos graves e não resistiu. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico-Legal (IML).

Juliana deve responder pelo crime de homicídio, mas a pena pode ser reduzida ou até mesmo descartada pela Justiça por conta da legítima defesa.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização