Cargill irá investir R$ 20 mi na nova fábrica em PG

Ponta Grossa

20 de março de 2017 19:30

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Câmara propõe estímulo ao comércio próximo ao HU

Setor imobiliário pede cautela com possíveis mudanças na cobrança do IPTU

Vídeo mostra agressão sofrida por massoterapeuta

Suspeito de matar massoterapeuta é preso em PG
Inadimplência no IPTU chega aos 35% em PG
Município tenta encontrar equilíbrio financeiro
PG vai revisar planta genérica para incrementar IPTU
PUBLICIDADE

A multinacional Cargill concluiu, no início deste ano, a aquisição da empresa SGS Microingredients, instalada no Distrito industrial de Ponta Grossa. A aquisição foi estratégica, a partir da necessidade da empresa norte-americana expandir a sua atuação no ramo de óleos industriais no país. Com a nova planta, a Cargill amplia seu portfolio, com novos produtos no mercado, e tem um espaço maior para poder ampliar sua capacidade produtiva. O valor da transação não foi divulgado, até em comum acordo com os antigos proprietários da empresa, porém a Cargill confirma um investimento de cerca de US$ 6 milhões (ou seja, algo em torno de R$ 20 milhões) no período de aproximadamente um ano e meio na nova unidade.

Em entrevista ao Jornal da Manhã e Portal aRede, o Diretor Geral da Cargill Especialidades industriais, Paulo Hoffmann, nascido em Prudentópolis, na região dos Campos Gerais, lembrou que a assinatura do contrato para a aquisição ocorreu em novembro. No mês seguinte, a transação foi submetida para a aprovação dos órgãos regulatórios, como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o CADE, e a aprovação veio em janeiro, quando houve a conclusão da transação.

A negociação, no entanto, Hoffmann explica que foi iniciada pelo menos um ano atrás, em novembro de 2015. A principal fábrica deste segmento da Cargill no país, localizada em Mairinque, em São Paulo, em operação há onze anos, estava operando em 100% da capacidade de produção, e surgiu a necessidade da aquisição de uma empresa já existente, que já tivesse tecnologias e clientes. Uma busca foi feita pelo país e a SGS se destacou para a multinacional. “Em função dessa restrição e a necessidade por novas tecnologias, e que fosse algo que já trouxesse um mercado junto, nos moveu em direção de buscar alguma alternativa. A SGS, pela sua potencialidade e linha de produtos, se encaixou”, relatou o executivo.

Sobre o investimento de aproximadamente R$ 20 milhões que serão aplicados na nova unidade, Hoffmann esclarece que se refere a atualizações e adaptações na atual fábrica, que passará a adotar o nome Cargill, sendo boa parte deste aporte destinado para a área de Tecnologia de Informação. “Fizemos todo o trâmite legal e assumimos em janeiro. Já temos previsto, para os próximos 18 meses, investimentos de aproximadamente R$ 6 milhões, que são voltados principalmente para a parte de adequações, em novos equipamentos, nas regras de segurança, informática”, completa Hoffmann.

 


Faturamento irá dobrar no prazo de dois anos

Com a aquisição da SGS, a Cargill anuncia um faturamento de R$ 80 milhões com a nova planta, valor que deve ser dobrado no período de aproximadamente dois anos, com o aumento da produção após os investimentos. “Como a fábrica estava operando em 30% a 35% da capacidade, ainda temos um tempo para preencher a fábrica sem grandes investimentos significativos”, conta. Hoffmann No contexto nacional, a perspectiva é de que a Cargill dobre o faturamento atual em aplicações industriais nos próximos cinco anos, para atingir o objetivo da empresa de ser líder no fornecimento de biosoluções e bioprodutos em substituição aos óleos derivados do petróleo.

 

Campos Gerais 
Empresa tem três fábricas na região

Com a matriz nos Estados Unidos, a Cargill está presente em 70 países e emprega diretamente 150 mil funcionários. No Brasil, são 19 fábricas e está presente em 17 estados brasileiros, contando com mais de 10 mil funcionários. Somente no Paraná conta com quatro fábricas, sendo duas em Ponta Grossa (onde está a primeira fábrica da Cargill no Brasil, onde produz óleo para exportação) e uma em Castro. Ainda no Estado, está presente em 33 municípios, contando com 26 armazéns e um terminal portuário em Paranaguá, totalizando 1.375 funcionários diretos. 


O quê?

A SGS

A SGS processa e produz oleoquímicos e emulsificantes para os segmentos alimentícios, nutrição animal e industrial, com produtos voltados para o mercado nacional e para exportação. A capacidade produtiva é de 56 mil toneladas por ano. A unidade contava com 80 funcionários, que foram absorvidos pela Cargill.

 

 


PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização