Setor de telefonia lidera ranking de reclamações do Procon

Ponta Grossa

11 de janeiro de 2017 18:04

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

CPS entrega uniformes visando segurança de funcionários

Início de greve no transporte público em PG é incerto

Más condições de rua causam transtorno aos moradores

Semana deve ser de temperaturas agradáveis em PG
Bêbado provoca acidente e entra na contramão para fugir
Dupla para em operação da GM e é presa com carro roubado
Ladrões ‘aproveitam’ lombada para roubar carro
/
PUBLICIDADE

O Procon de Ponta Grossa fechou o ano de 2016 com mais de 7,6 mil atendimentos. Dados revelados em relatório da Coordenadoria Municipal de Orientação e Defesa do Consumidor apontam que foram pouco mais de 5,7 mil atendimentos presenciais, na sede do órgão, sendo as demais registradas pelo telefone, e-mail ou redes sociais. E entre os atendimentos realizados, a grande maioria, mais de 75% - ou seja, três em cada quatro reclamações – são referentes ao setor de serviços, com praticamente metade deles referente à área de telecomunicações. Setor o qual permanece na liderança do ‘ranking’ há alguns anos.

Depois do segmento de comunicação, que envolve telefonia, TV internet e dados, e foi o alvo de críticas de mais de 3,8 mil consumidores (3.818), os assuntos financeiros, que envolvem o setor bancário. aparecem na vice-liderança das reclamações, com 22% (1.738 registros em 2016), seguido por ‘produtos’, com 1,7 mil registros. O setor de habitação vem a seguir, mas com frequência muito menor: 199 registros durante o ano passado. Depois, pela ordem, Saúde (105), consórcios (16) e alimentos (9).

Nesse período, segundo o coordenador-executivo do Procon, Edgar Hampf, foram abertos ainda 1.886 processos administrativos – sendo destes, 934 voltados à área de telecomunicações. Isso acontece quando as demandas dos consumidores não são resolvidas pelo fornecedor. Desses, 849 foram já arquivados, resolvidos. Outros 703 estão no jurídico para aplicação de multa, ao passo que 244 estão aguardando audiências conciliatórias (já designadas) e 90 aguardam prazo de cumprimento de acordo. Além disso, 2,2 mil audiências foram realizadas durante o ano passado.

 

Ano foi marcado por reestruturação física

No ano passado o Procon passou por uma reestruturação física. Antes atendendo em uma sala no piso térreo da Prefeitura, agora a Coordenadoria conta com um espaço maior, em região central, resultando em uma otimização dos serviços. “Agora temos condições de oferecer mais agilidade nos atendimentos, com a mudança para as novas instalações, no Edifício Guaíra”, registra o coordenador. A mudança resultou na ampliação das mesas de atendimento – das antigas cinco para as atuais 12 – além do incremento em todas as demais áreas, inclusive fiscalização, departamento técnico e cartório.

 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização