aRede aRede aRede
aRede
Taxistas preparam ações para tentar barrar Uber

Ponta Grossa

11 de janeiro de 2017 14:56

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Música na Chaminé retorna nesta quinta-feira

Motorista escapa ileso após atropelar cavalo

Vídeo flagra fuga de motorista após causar acidente

Corpo é encontrado em trecho ferroviário de Uvaranas
Mais de 20 regiões de PG ficam sem água nesta quinta
Santa Casa manifesta luto por morte de enfermeira
Pedestre morre atropelado por carro na BR-376
Menom afirma que concorrência do Uber é desleal/Imagem: DANILO WIEDERMANN
PUBLICIDADE

Sindicato dos Taxistas autônomos de Ponta Grossa busca apoio do prefeito Marcelo Rangel (PPS) e de vereadores para barrar o serviço

Com a instalação da empresa Uber em Ponta Grossa tomando forma e com expectativa para acontecer ainda em fevereiro, o Sindicato dos Taxistas Autônomos de Ponta Grossa reagiu e promete ações para barrar o serviço. De acordo com o vice-presidente do Sindicato, José Carlos Menon, os taxistas pretendem se reunir com o prefeito Marcelo Rangel (PPS) nos próximos dias para consulta-lo sobre a situação e, além disso, já buscam apoio de um promotor de Justiça do município na tentativa de brecar a chegada do serviço ao município.

Segundo Menon, a concorrência do Uber é desleal do ponto de vista financeiro. Taxista há mais de 30 anos, Menon lembra que os profissionais do setor tem que passar por diversos cursos, além dos pagamentos de impostos e taxas cobrados pela Prefeitura e pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT). “Enquanto isso o motorista da Uber só paga pelo aplicativo e roda tranquilamente pela cidade”, criticou Menon.

Caso o prefeito não atenda a demanda dos taxistas, Menon acredita que o próximo passo seja tentar um mandado de segurança na Justiça para barrar o serviço e depois pressionar os vereadores para uma lei que barre a atividade. “O Uber é ilegal, acaba com o mercado de trabalho, temos mais de 500 pessoas que vivem do táxi em Ponta Grossa e caso o serviço chegue, boa parte delas não vai ter mais sustento”, dispara o vice-presidente.

Qualificação

Menon defende que no caso dos taxistas, o cliente tem a disposição profissionais qualificados e, caso não aprove o serviço, tem também para quem reclamar. No caso da Uber, aponta Menon, se o cliente não gostar no serviço não há para quem reclamar. “Além disso, a maior parte do dinheiro arrecadado com o aplicativo da Uber vai para os Estados Unidos, não fica no Brasil”, criticou.

PUBLICIDADE
MIX - 26/04/2018 02:23h

Renan pede Beth em casamento

Clara se diverte com Gael durante um passeio. Patrick afirma a Clara que, com as informações que re...

 
0
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização