"Uber é concorrente desleal”, dizem taxistas

Ponta Grossa

06 de janeiro de 2017 16:05

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Câmara propõe estímulo ao comércio próximo ao HU

Setor imobiliário pede cautela com possíveis mudanças na cobrança do IPTU

Vídeo mostra agressão sofrida por massoterapeuta

Suspeito de matar massoterapeuta é preso em PG
Inadimplência no IPTU chega aos 35% em PG
Município tenta encontrar equilíbrio financeiro
PG vai revisar planta genérica para incrementar IPTU
Menon afirma que já existem carros no "Uber clandestino" em Ponta Grossa/Imagem: Danilo Wiedermann
PUBLICIDADE

Sindicalistas acreditam que instalação da UBER no município pode “acabar com a atividade dos taxistas” em Ponta Grossa

“O UBER clandestino já existe na cidade, é uma concorrência desleal”. Essa é a opinião de José Carlos Dobginski, o Carlão, presidente do Sindicato dos Taxistas autônomos de Ponta Grossa. A possibilidade de instalação da Uber na cidade, empresa especializada na prestação de transporte privado urbano, já é de conhecimento do Sindicato. Os taxistas prometem mobilizar vereadores e o prefeito, Marcelo Rangel (PPS), para impedir com uma lei a possibilidade.

Segundo Carlão, entre 450 a 500 pessoas sobrevivem do táxi em Ponta Grossa. “Hoje o taxista paga inúmeros impostos, é taxa pra todo lado, não tem como concorrer com uma serviço como o Uber”, considerou o presidente do sindicato. Carlão conta ainda que deve se reunir com o prefeito e vereadores para articular uma lei que proíba a instalação do serviço em Ponta Grossa.

Carlãolembrou ainda que a principal preocupação do sindicato é garantir uma concorrência leal, do ponto de vista financeiro, e até mesmo garantir a segurança de taxistas e motoristas do Uber. “Se tivermos uma lei que regulamente isso, caso um taxista encontre alguém fazendo uma corrida se dizendo Uber, ele pode chamar a polícia e isso evitaria casos de violência que temos vistos em outras cidades”, afirmou Carlão.

O vice-presidente do sindicato, José Carlos Menon, trabalha em um ponto de táxi ao lado do shopping Palladium e garante que veículos, de maneira clandestina, já “se dizem Uber” em Ponta Grossa. “A instalação do serviço é ruim para o mercado de trabalho e até mesmo para o usuário, qual é a segurança que uma pessoa tem ao entrar em um carro desse?” questionou Menon. O taxista lembrou ainda que em muitas das grandes cidades, como é o caso de São Paulo, o serviço é prestado praticamente sem fiscalização.

Menon garantiu ainda que o prefeito Marcelo Rangel, em reuniões anteriores com os sindicalistas, já havia se comprometido em barrar o serviço na cidade – Rangel não foi encontrado pela reportagem para confirmar a informação. Menon também sustenta que promotores de justiça consultados pela categoria também se manifestaram contrariamente a instalação do Uber em Ponta Grossa. 

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização