Brasil perde e termina a Copa com mais um fiasco

Notícias

12 de julho de 2014 19:18

Gabriel

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Visconde de Taunay recebe domingo corrida de rolimã

Alemães quebram parte da taça da Copa em comemoração

Ex-goleiro Gilmar é o novo coordenador de seleções

Brasil cai quatro posições no ranking da Fifa
Seleção alemã é recebida em Berlim por 500 mil pessoas
Suspeito de chefiar venda ilegal de ingressos se entrega
Presidente da CBF confirma saída de Felipão
PUBLICIDADE

Com falhas no sistema defensivo e erros do árbitro argelino Djamel Haimoudi, a seleção brasileira perdeu para a Holanda por 3 a 0, neste sábado (12), no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e terminou a Copa do Mundo na quarta colocação.

O time brasileiro encerrou sua participação com três vitórias, dois empates e duas derrotas - para a Alemanha por 7 a 1, o pior resultado negativo da história centenária da seleção, e para a Holanda.

Assim, a seleção brasileira encerrou sua participação com 52% de aproveitamento e igualou a campanha da equipe nacional na Copa de 1974, na Alemanha - o pior aproveitamento de pontos do Brasil em 40 anos em Mundiais. Na oportunidade, a seleção também terminou na quarta colocação.

No confronto contra os holandeses, o time de Felipão tomou dois gols em 16 minutos &- o terceiro foi marcado nos acréscimos do segundo tempo. Contra os alemães foram cinco em 29 minutos.

Foi o quinto confronto entre as duas seleções. O Brasil venceu na campanha do tetracampeonato em 1994 e perdeu os confrontos em 1974 e em 2010. Em 1998, a seleção brasileira venceu nos pênaltis após empate no tempo normal e na prorrogação.

Neymar, que se recupera de uma fratura na vértebra na partida com a Colômbia, pelas quartas de final, ficou no banco de reservas. No entanto, o jogador não estava relacionado para a partida.

Com o término da Copa do Mundo, o presidente da CBF, José Maria Marin, deve definir até a próxima semana a permanência ou não do técnico Luiz Felipe Scolari no comando da seleção brasileira.

O time volta a jogar no próximo dia 5 de setembro, quando enfrentará a Colômbia, em Miami, nos Estados Unidos. O jogo poderá marcar o reencontro de Zúñiga com Neymar.

Além do confronto contra os colombianos, o Brasil ainda tem mais três compromissos em 2014 de acordo com o site da Fifa: joga contra o Equador, em 9 de setembro, em Nova Jersey, nos EUA; enfrenta a Argentina, em 11 de outubro, em Pequim, na China; e encara a Turquia, em 12 de novembro, em Istambul, na Turquia.

SEIS MUDANÇAS

Depois do vexame contra a Alemanha, Felipão promoveu seis mudanças na equipe. Pela primeira vez na competição, escalou o lateral esquerdo Maxwell no lugar de Marcelo. O setor defensivo ainda teve Thiago Silva, que cumpriu suspensão na última partida.

No meio de campo, a seleção teve Paulinho e Ramires, que substituíram Fernandinho e Hulk, respectivamente. Assim, o time entrou com três jogadores com características defensivas o que não aconteceu diante dos alemães.

O setor ofensivo teve Willian e Jô. Titulares na semifinal, Fred e Bernard ficaram no banco de reservas.

O JOGO

Apesar das mudanças, a seleção brasileira tomou um gol logo no início do jogo. Aos 2 minutos, em uma rápida jogada, Robben escapou da marcação e foi puxado pelo zagueiro Thiago Silva fora da área. O árbitro argelino Djamel Haimoudi anotou pênalti. Van Persie cobrou no alto e abriu o placar.

Mesmo com as mudanças realizadas por Felipão, a seleção brasileira voltou a repetir os erros do último jogo. O lado esquerdo da defesa estava vulnerável, o time apresentava muitos espaços entre a defesa e o meio de campo e tinha dificuldades para sair jogando.

Com isso, a Holanda aproveitava os contra-ataques. Aos 16 minutos, De Guzmán recebeu em impedimento e fez o cruzamento. O zagueiro David Luiz cortou errado e colocou nos pés de Blind, que ajeitou e marcou o segundo.

Na reta final do primeiro tempo, a seleção brasileira evoluiu, mas só levou perigos em lances de bola parada. Na melhor delas, a bola passou na pequena área e David Luiz e Paulinho não conseguiram completar para o gol.

Já a Holanda estava bem postada ao impedir que o time de Felipão saísse jogando. A equipe europeia ainda ameaçava nos contra-ataques.

No segundo tempo, a seleção brasileira voltou com Fernandinho no lugar de Luiz Gustavo. No decorrer da etapa complementar, Hernanes substituiu Paulinho, enquanto Hulk entrou no lugar de Ramires.

Apesar das mudanças, o Brasil não conseguiu pressionar o adversário. A equipe ainda tinha dificuldades de sair jogando e de criar jogadas. O melhor lance foi aos 13 minutos, quando Ramires bateu da entrada da área para fora.

Já nos acréscimos, a Holanda marcou o terceiro. Após jogada pela esquerda, Wijnaldum, livre, completou para o gol.

No final do jogo, a seleção brasileira foi vaiada pelos torcedores que compareceram ao Mané Garrincha.

BRASIL

Júlio César; Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Luiz Gustavo (Fernandinho), Paulinho (Hernanes), Ramires (Hulk), Oscar e Willian; Jô. T.: Luiz Felipe Scolari

HOLANDA

Cillessen (Vorm); Vlaar, Indi e De Vrij; Kuyt, Wijnaldum, Clasie (Veltman), De Guzmán e Blind (Janmaat); Robben e Van Persie. Técnico: Louis Van Gaal

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília

Árbitro: Djamel Haimoudi (Argélia)

Gols: Van Persie, aos 2 min, e Blind aos 16 min do 1º tempo; Wijnaldum aos 46 min do 2º tempo

Cartões amarelos: Thiago Silva, Fernandinho, Oscar (B), Robben e De Guzmán (H)

Informações da Folhapress.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização