UEPG celebra 20 anos da Editora e reinaugura Museu

Mix

04 de outubro de 2017 17:40

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Giro noturno de fotógrafo de PG mostra o Natal da Princesa

Clara vê Tomaz, Renato e Lívia juntos

Caravana do Natal Encantado passará por Ponta Grossa dia 15

Música para Todos e Apadevi promovem Mostra Artística Musical
Escritor de PG lança coleção Roteiro Literário
PG se prepara para receber Roberto Carlos
Nádia obriga Nicácio a lhe vender a maior parte do salão
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Os 20 anos de história da Editora UEPG serão comemorados, nesta quinta-feira (05), no âmbito da programação que também registra a inauguração do prédio restaurado do Museu Campos Gerais – e o lançamento da terceira edição do livro Anarquismo experimental de Giovanni Rossi (Cãndido de Mello Neto). A cerimônia ocorre no Museu Campos Gerais, às 19h30. Na oportunidade, os organizadores destacam homenagem à professora aposentada da UEPG, Leide Mara Schimidt, que teve presença marcante na instituição – e entre outros importantes cargos, foi vice-reitora, na gestão Roberto Frederico Mehry (1994/1998/1998-2002) - e a primeira diretora do Nutead (Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta a Distância) da instituição.

Na direção da Editora, a professora Lúcia Cortes da Costa destaca o importante trabalho da Editora UEPG, assinalando como um dos principais avanços do setor consolidar-se como um instrumento de divulgação do conhecimento científico/acadêmico com a consolidação do seu catálogo de publicações. A professora aponta na trajetória histórica da Editora também a conquista de espaço no mercado de livros universitários; o reconhecimento do trabalho da Editora com a vinda de propostas de publicações de autores de outras universidades e centros de pesquisa; a consolidação da Editora junto a comunidade acadêmica da própria UEPG e seu reconhecimento como selo de publicação.

Avanços na História

Cita ainda como avanços nos últimos anos o Prêmio Jabuti, recebido em 2015, da Câmara Brasileira de Livro (CBL); a aprovação, em 2017, da Editora UEPG para integrar a rede Scielo Livros; a internacionalização da Editora UEPG com a publicação de obras traduzidas do inglês; e a participação nas feiras do livro, especialmente na Bienal de São Paulo e do Rio de Janeiro. Para Lúcia Cortes, estar na direção da Editora UEPG é um trabalho gratificante e um desafio. Quanto aos projetos para o futuro do espaço, a diretora coloca o empenho em fazer com que o selo Editora UEPG seja cada vez mais reconhecido e valorizado no meio acadêmico e no mercado de livros universitários, projetando a UEPG no espaço editorial nacional e internacional.

Outra preocupação é dar maior visibilidade ao catálogo da editora UEPG e promover suas obras no mercado editorial. A professora destaca como diferencial do trabalho fazer com que os livros cheguem cada vez mais aos leitores, tanto na versão impressa como digital. “Chegar ao público leitor e promover a leitura é nossa meta. Vemos os registros de acesso de nossos livros na Rede Scielo, Amazon, Google Play, COBO – em setembro foram mais de 55 mil acessos”. Lúcia Cortes cita a participação da Editora UEPG nas feiras de livros, e a venda das obras impressas através da loja virtual e das duas livrarias físicas nos campi da UEPG; e a disponibilização de e-books no site da Loja virtual da Editora UEPG.

Caminhos da Gestão

Acerca dos caminhos traçados em sua gestão, a diretora enfatiza a visibilidade do selo editora UEPG; a divulgação do catálogo na comunidade interna e externa; a busca do reconhecimento das publicações do setor pelas entidades que trabalham com livro universitário no Brasil e exterior através da ABEU e da CBL; e divulgar o livro em formato digital e impresso. Neste universo, a diretora coloca ações para atrair autores com reconhecimento acadêmico; ter um catálogo com obras de caráter científico/acadêmico; internacionalizar o catálogo com a publicação de obras traduzidas; e buscar levar as nossas obras para serem publicadas no exterior.

O grande desafio, hoje, segundo a diretora, é recompor a equipe técnica administrativa da Editora UEPG. “Nós parcialmente conquistamos algo nesse sentido com a entrada de dois diagramadores, mas faltam revisores, normalizadores (bibliotecário) e técnico administrativo na equipe da Editora”. Lucia Cortes registra que, nas livrarias da Editora UEPG, busca-se um maior contato com as editoras para consignar obras, mantendo a atualização dos livros disponíveis para venda. Também menciona a busca de maior contato com distribuidores para venda da obras do setor em outras universidades e livrarias.

Conquista e Prioridades

A diretora traduz os 20 anos de história da Editora como uma conquista importante para a divulgação da UEPG junto ao meio acadêmico e no mercado do livro universitário. “É uma conquista coletiva que contou com a colaboração e o importante trabalho de todos que já atuaram na Editora UEPG desde seu inicio. Temos mais de 200 livros publicados em nosso catálogo, as áreas mais procuradas são ainda das ciências sociais e humanas”. Como prioridades para os próximos anos, a professora registra poder contar com aporte de recursos para manter as publicações dentro do cronograma estabelecido - e ter orçamento definido para que a Editora possa planejar suas atividades.

Das necessidades enfatiza ter o apoio da Fundação Araucária com editais para publicação de livros; ampliar a equipe técnica com contratação de profissional na área de revisão e normalização; e ampliar o quadro técnico administrativo – e o setor de vendas. Para Lucia Cortes, estar como diretora da Editora é difícil em razão das incertezas sobre recursos para publicação, falta de equipe técnica e dificuldades em ampliar o catálogo. “Gostaríamos de ter 20 livros publicados por ano. Hoje, ainda tentamos atingir 12 publicações ao ano, nem sempre se consegue essa meta”. Diz que a satisfação é enorme quando a Editora conclui a publicação de um livro - e registra sua aceitação junto ao público leitor e seu reconhecimento no mercado editorial.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização