‘Grupo secreto’ une forças para seguir desenhando em PG

Mix

15 de julho de 2017 10:00

Daniel Petroski

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Rock da banda Cadillac Dinossauros invade o 9º Festival de Música

Professor da FACPG realiza exposição na Estação Arte

Jeiza recebe flores de Caio e Zeca descobre

‘Festival de Música’ tem intensa programação nesta sexta-feira
Contagem regressiva para ‘Maiara e Maraisa’ em PG
Ivana descobre que é trans homem gay
'Concerto das Rosas' traz música e ação social
PUBLICIDADE

Eles têm sigla: DES. A identidade do grupo é mantida em sigilo atrás de outras profissões. Todos defendem um mesmo propósito. Possuem encontros regulares para trocarem ideias e técnicas. Seriedade é palavra de ordem. Calma! Não é bem isso que você está pensando.

A sigla significa “Desencontro dos Desenhistas Desconhecidos”. Um é encanador, o outro pintor e o terceiro professor de desenho. Tem ainda um pintor automotivo e, a única mulher, é secretária. Essa “sociedade secreta” formada pelos desenhistas Fernando Weiber, José Ricardo Widelski, Rodrigo Alexandre, Leônidas da Rosa e Giselle J. Xavier de Barros nem de longe pretende dominar o mundo. O que essa turma aí quer mesmo é transformar talento em traços e usar e abusar da criatividade no papel.

Como viver de arte ainda é um sonho distante, o grupo resolveu se reunir para que um possa estimular o outro a não desistir da paixão pelos desenhos. “Foi apenas uma sugestão de um dos membros. Depois acabou se tornando rotina. Nossa intenção é trocar experiências, indicar possíveis trabalhos e ajuda mútua com certeza. Neste mundo onde existe a desvalorização, nós adquirimos força e persistência como um time”, afirma Giselle. As reuniões ocorrem conforme a disponibilidade dos participantes, mas sempre em finais de semana ou feriados.

“Eu me sinto realizado por estar fazendo o que eu gosto e ao lado dos meus amigos”, garante Weiber que tem dez anos de experiência. “Me sinto muito honrado de participar desse grupo de amigos, pois graças a eles não desisti de desenhar”, assegura Widelski. Ele afirma que o talento veio de infância. “Considero-me um privilegiado por estar entre bons amigos e agregando mais conhecimento”, reforça Alexandre.   

Afirmando não existir competição entre os integrantes, apenas humildade e empatia, o grupo também pretende estimular o descobrimento de novos artistas. “A intenção do grupo é de ser reconhecido pela região e de servir de incentivo para outras pessoas a gostarem da arte de desenhar”, finalizou Weiber.

Desenhar é mais que um hobby

Na definição do grupo desenhar é mais que um hobby. “A arte de desenhar é a inspiração que tenho de me superar a cada traço que realizo”, revela Weiber. “O desenho é um caminho para um mundo de imaginação, livre de expressão e autoconhecimento”, acredita Alexandre. “O desenho é tudo. É o meu legado, o que sei fazer de melhor e sempre me surpreendo quando alcanço minhas metas”, diz Giselle. “É muito gratificante ver pessoas felizes com uma arte que você fez”, conclui Widelski. 

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização