Leite lidera geração de riquezas em Castro e Carambeí

O ano de 2017 pode até ter sido marcado como o melhor da história no quesito produção agrícola, não só nos Campos Gerais, mas em todo o país, com o registro da ‘supersafra’. Porém, foi marcado também por um incremento na produção de leite no município de Castro, na casa de dois dígitos, atingindo quase 13% de crescimento. Em números, a produção subiu para 288 milhões de litros. Os detalhes da produção foram revelados através do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), divulgado recentemente pela Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab), através de levantamentos feitos pelos núcleos regionais do Departamento de Economia Rural (Deral).

Com esse incremento, Castro consolida sua posição na liderança da produção nacional de leite – e até por isso foi reconhecida oficialmente, no ano passado, como a ‘Capital Nacional do Leite’. No ano passado, o município já tinha aparecido na liderança, quando foram retirados 255 milhões de litros. No quesito valor da produção, houve um crescimento, porém menor, de 9,32%. Isso representa que o preço de comercialização do leite caiu em relação a 2016. Se, em 2016, o valor obtido com a venda somou R$ 318,7 milhões, enquanto que no ano passado chegou a R$ 348,4 milhões. 

Entre os 27 municípios dos Campos Gerais, o VBP mostra que a produção agrícola foi a principal atividade, especialmente com a soja, o produto que mais gerou riquezas no campo para 19 cidades. Com a pecuária, apenas duas cidades apareceram na ponta, justamente com o leite. Uma é Castro e a outra Carambeí. Neste município vizinho a produção leiteira também registrou um incremento, ainda maior que Castro, de 19%. Os 141 milhões de litros passaram para 168 milhões de litros. Em valor, o crescimento foi de 15,3%, ao subir de R$ 176,2 milhões para R$ 203,28 milhões.

Outros municípios dos Campos Gerais também tem a pecuária leiteira com destaque – embora não como a principal atividade. Entre esses municípios estão Arapoti, sede da Capal, onde a produção de leite é a segunda principal atividade, que gerou R$ 95,3 milhões em riquezas, pela produção de 78,8 milhões de litros, atrás apenas da soja (R$ 130,9 milhões). Em Palmeira é a terceira principal atividade, ao gerar um valor bruto de R$ 82,2 milhões pela produção de 68 milhões de litros. Na frente dessa atividade estão a fumicultura, que rendeu R$ 106,5 milhões e a produção de soja, com R$ 194,3 milhões. 


Produção de fumo e silvicultura também lideram produção em cidades da região

Onde a soja não é líder de produção e o leite também não aparece na primeira colocação, o fumo predomina. São João do Triunfo é o município paranaense que mais produz fumo, um dos maiores produtores do país. Esse cultivo rendeu R$ 213 milhões em riquezas para a cidade, valor que é mais de dez vezes maior que rendeu a produção de soja R$ R$ 19,6 milhões. O fumo também é o principal cultivo em Ipiranga (R$ 89,9 milhões), Imbituva (R$ 85,9 milhões) e em Guamiranga (R$ 69,9 milhões). Em Imbaú e em Telêmaco Borba predominam a Silvicultura, que é a produção madeireira, como principal gerador de riquezas do agronegócio.


Paraná é destaque nacional

No Paraná, a produção de leite respondeu por 7% do VBP, com um faturamento de R$ 5,7 bilhões, cerca de 4% inferior ao ano anterior quando foi registrado faturamento bruto de R$ 5,91 bilhões para o setor. Segundo o economista do Deral, Marcelo da Silva Gomes, a queda na produção de leite ocorreu em função do aumento nos custos de produção ocorrido em 2016, quando muitos produtores reduziram seus rebanhos ou até saíram da atividade. Porém o Paraná se destaca no cenário nacional da produção de leite, colocando-se entre os três estados que mais produzem leite no País. Aqui, os produtores utilizam tecnologia de ponta que resulta em altos índices de produtividade, com regiões chegando a 30/40 litros de leite por vaca/dia, disse o economista

Show Tecnológico Fundação ABC começa nesta quarta

Show Tecnológico Fundação ABC começa nesta quarta...

Indústrias impulsionam alta na arrecadação da região

Indústrias impulsionam alta na arrecadação da região...

Paraná tem 30% das placas do Mercosul adotadas no Brasil

Paraná tem 30% das placas do Mercosul adotadas no Brasil...

Capa da edição desta quarta-feira (20/02/2019) do JM

Capa da edição desta quarta-feira (20/02/2019) do JM...

É preciso endurecer a legislação

É preciso endurecer a legislação...

Charge da edição desta quarta-feira (20/02/2019) do JM

Charge da edição desta quarta-feira (20/02/2019) do JM...

Bolsonaro, a casa e a rua

Bolsonaro, a casa e a rua...

Rudolf apresenta a contabilistas proposta de redução do ISS

Rudolf apresenta a contabilistas proposta de redução do ISS...

Projeto de Aliel gera primeira derrota do governo na Câmara

Projeto de Aliel gera primeira derrota do governo na Câmara...

CGE e Sandro apresentam ‘Compliance’ a Dallagnol

CGE e Sandro apresentam ‘Compliance’ a Dallagnol...

Zampieri pede que deputados apoiem subsídio no transporte

Zampieri pede que deputados apoiem subsídio no transporte...

Câmara decide sobre regras para conservação de calçadas

Câmara decide sobre regras para conservação de calçadas...

Governo recebe líderes do sindicato dos professores

Governo recebe líderes do sindicato dos professores...

Juca Sloboda conquista R$ 5,7 mi para Jaguariaíva

Juca Sloboda conquista R$ 5,7 mi para Jaguariaíva...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS