Britânico comanda cargueiro embriagado e é suspenso

Insana

07 de agosto de 2017 11:00

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Pescadores capturam tubarão com 300 dentes

Internautas veem mulher com smartphone em quadro de 1860

Homem esquece onde estacionou e reencontra carro após 20 anos

Professora mandava ‘nudes’ e exigia sexo para aumentar notas
Jovem é eletrocutada por cabo de celular enquanto dormia
Execução de condenado à morte dá errado; entenda
Teias de aranhas gigantes envolvem árvores de floresta
Baker foi detido e levado ao tribunal do distrito de Whangarei, onde se declarou culpado de não cumprir a legislação marítima neozelandesa/Foto: Reprodução Fotos Públicas/
PUBLICIDADE

O navio de 200 metros com bandeira de Cingapura deveria atracar, mas foi chamado após alguns problemas para acionar o motor e levantar a âncora

Um capitão britânico, cujo teste de alcoolemia apresentou resultado cinco vezes acima do nível legal permitido enquanto comandava um cargueiro em um porto da Nova Zelândia, foi multado e suspenso de suas atividades.

Anthony Michael Baker passou pelo teste do bafômetro na sexta-feira, depois que funcionários do porto notaram problemas com o “Shansi”, navio de 40.000 toneladas, na bacia norte do porto de Marsden Point.

Baker foi detido e levado ao tribunal do distrito de Whangarei, onde se declarou culpado de não cumprir a legislação marítima neozelandesa. A justiça aplicou uma multa de 2.200 dólares.

O advogado de Baker afirmou no tribunal que o capitão foi “suspenso por seu empregador e será difícil que encontre trabalho em um similar no futuro.”

Neil Rowarth, diretor regional da Autoridade Marítima Neozelandesa, disse que a condenação de Baker e a multa enviam uma “advertência séria” aos marinheiros.

Baker, de 53 anos e natural de Devon (sudoeste de Inglaterra), não estava de serviço quando o navio de 200 metros com bandeira de Cingapura deveria atracar, mas foi chamado após alguns problemas para acionar o motor e levantar a âncora.

O capitão bebeu antes de ser chamado e voltou a beber ao final da operação, de acordo com o advogado. A polícia informou que o teste de alcoolemia de Baker revelou uma taxa de 1,345 mg de álcool por litro de ar espirado, muito acima do limite de 0,250 na Nova Zelândia.

Informações Istoé

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização