Estruturação de equipe de resgate reduz mortes nas rodovias | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Estruturação de equipe de resgate reduz mortes nas rodovias

especiais-rodovias

23 de setembro de 2017 11:39

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Rodovia impulsiona novos empregos em Piraí do Sul

Obras em rodovias geram mais de mil empregos

Concessões modernizam profissões em rodovias

RodoNorte repassa R$ 488 milhões aos municípios
Arrecadação nas rodovias impacta nos cofres de PG
Empresa reaproveita material ‘descartável’ em projetos
Rodovias contribuem para desenvolvimento social
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Profissionais treinados contribuem com atendimento concedido às vítimas de acidentes e com diminuição do número de óbitos.

A preservação do quesito vida nas estradas é fruto de uma equação complexa que envolve as condições das rodovias e um suporte de resgate eficiente com profissionais bem treinados.  Nas estradas dos Campos Gerais, pistas que integram à concessão da empresa CCR RodoNorte, o número de mortes despencou desde 1998: até novembro de 2016, a diminuição de óbitos chegou a 75%, já o índice de acidentes teve uma redução da ordem de 65%.

Dados da CCR RodoNorte mostram que no trecho que a empresa cuida na região dos Campos Gerais houve uma queda significativa no número de pessoas que perderam a vida em acidentes. A partir do chamado índice de mortos (IM) - aspecto que leva em conta o número de acidente com óbitos, a extensão do trecho analisado e o período - é possível ter um panorama da melhoria da segurança de quem trafega pelas estradas da região.

O IM das rodovias cuidadas pela concessionária era de 15,96 mortes a cada 100 milhões de quilômetros rodados em 1998, ano de início da concessão, e despencou para 3,96 mortes a cada 100 milhões de quilômetros em 2016 – o decréscimo representa uma diminuição de 75% no número de óbitos registrados na PR-151 e BR-376, BR-277, além da PRC-373 e do trecho urbano da BR-373, na avenida Souza Naves, em Ponta Grossa.

Miguel Moraes Martins trabalha na CCR desde o começo da concessão e no ano 2000 assumiu a coordenação do atendimento pré-hospitalar oferecido pela empresa. Martins conta que atualmente são sete ambulâncias de prontidão para atender o trecho concessionado. O serviço de resgate e atendimento pré-hospitalar ainda conta com 70 colaboradores (enfermeiros, socorristas e afins), além de 10 médicos que se revezam em um atendimento que funciona sete dias por semana, 24 horas por dia, sem interrupções. 

“O nosso pessoal é muito qualificado, existem treinamentos e aperfeiçoamentos todo o mês. Todo mundo está antenado no que existe de mais moderno do ponto de vista do resgate, dos primeiros socorros e dos procedimentos que, quando feitos na hora correta e do modo adequado, salvam vidas”, explicou o coordenador. Martins salientou ainda a importância de outras frentes na diminuição dos óbitos, como o trabalho de conscientização feito pela CCR e a fiscalização realizada pelas polícias rodoviárias Federal e Estadual.

Miguel salientou ainda que em um acidente em um trecho de pista simples, por exemplo, as vítimas recebem atendimento das equipes de resgate da CCR RodoNorte em no máximo 15 minutos, já trechos de pista dupla a ambulância consegue atender a vítima em até 10 minutos. “A agilidade e um procedimento feito ainda no local do acidente, possibilitando estabilizar o paciente, muitas vezes salva inúmeras vidas”, explicou o coordenador. 

“Maioria de acidentes tem causa humana”, ressalta coordenador

Miguel Moraes Martins lembra que as mudanças realizadas no setor estrutural (melhoria do pavimento, na sinalização e duplicações) contribuíram para a diminuição drástica no número de mortes, mas ressalta que a causa humana ainda é a responsável por boa parte dos óbitos. “A maioria dos acidentes não tem causa mecânica, mas sim falha humana e, por isso, a conscientização é fundamental para evitar colisões e possíveis óbitos”, explicou Moraes. 

Números:

70 colaboradores no setor de atendimento pré-hospitalar

10 médicos se revezando no atendimento do trecho da concessão

75% de diminuição no número de mortes 

65% de redução no número de acidentes

Demandas são gerenciadas na Central de Operações

Todas as demandas para o atendimento de equipes de resgate da CCR RodoNorte são gerenciadas em um moderno Centro de Controle Operacional (CCO) que fica em Ponta Grossa. No local, sempre há um médico de plantão que avalia, de maneira imediata, a gravidade de cada um dos atendimentos, determina as primeiras ações a serem tomadas e até mesmo o hospital para o qual o paciente deve ser encaminhado.

Coordenador do atendimento pré-hospitalar da concessionária, Miguel Moraes Martins lembra que além das ambulâncias utilizadas para o atendimento das ocorrências, outra viatura fica à disposição médica na Central de Operações. “Caso a equipe avalie que é necessária a presença do médico no local de um acidente, por exemplo, a viatura de deslocamento rápido está à disposição para que o profissional chegue no menor tempo possível”, conta.

O atendimento rápido e técnico das equipes de resgate é vital para a preservação da vida. Moraes afirma que muitas vezes o médico ou os socorristas conseguem levar o paciente já estabilizado para o hospital, aumentando consideravelmente a chance de recuperação.

Entre os diversos serviços prestados pela CCR RodoNorte, alguns números chamam a atenção: são 97,3 mil atendimentos ao ano, 266 ao dia e 11 por hora – os números tendem a crescer em feriados prolongados, por exemplo, período em que o fluxo nas rodovias cresce. Os dados levam em conta não só os atendimentos médicos, como os serviços de guincho, por exemplo.


PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização