aRede aRede aRede
(X)

Cotidiano

Da Redação | Cotidiano | 12/07/2018 as 08:29h / Imagem: aRede

Estudo pode levar à produção de novo remédio contra malária

Os testes desenvolvidos mostram que a molécula é capaz de matar o parasita

Um estudo brasileiro com uma nova molécula sintetizada pode fazer com que seja desenvolvido em alguns anos um novo medicamento contra a malária no país.

Embora o medicamento ainda não tenha sido produzido, os resultados dos estudos com essa molécula, até o momento, estão sendo positivos. “Tem um grande potencial para, quem sabe, no futuro, termos um novo medicamento para a malária”, disse o professor Rafael Victorio Carvalho Guido, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP), em entrevista à Agência Brasil.

Os testes desenvolvidos mostram que a molécula é capaz de matar o parasita, e até mesmo a cepa, que vem sendo resistente aos medicamentos atuais usados no tratamento contra a malária.

O estudo é resultado de uma colaboração. Além de Rafael Guido, participam da pesquisa os professores Célia Garcia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USD), Glaucius Oliva, da USP de São Carlos, e Carlos Roque Duarte Correia, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), entre outros colaboradores.

A molécula

A pesquisa tem demonstrado que a molécula, derivada da classe das marinoquinolinas, tem apresentado seletividade e baixa toxicidade, atuando no parasita [o protozoário causador da malária] e não em outras células do hospedeiro. Ela foi desenvolvida no Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar) – um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) financiado pela Fapesp. O estudo também recebeu apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Instituto Serrapilheira.

“Há alguns anos, o professor Roque já trabalha com uma classe de moléculas, produtos naturais marinhos, de bactérias marinhas, chamada de marinoquinolinas, e já havia sido publicado um trabalho, há algum tempo, sobre a atividade anti-infecciosa dessas moléculas”, explicou Guido.

No entanto, os produtos naturais apresentavam ação moderada ou fraca contra os patógenos. Mas, para esse estudo, a potência das moléculas foi aumentada. O objetivo inicial foi aumentar a potência das moléculas porque elas eram fracas.

"Precisamos de uma molécula que seja potente para matar o parasita e para poder ser um candidato. E conseguimos, finalmente, uma molécula que fosse bastante potente, de baixa concentração, ou seja, uma pequena quantidade dela que fosse capaz de matar o parasita”, disse Guido. “E, mais importante do que isso, a gente conseguiu fazer com que a molécula fosse seletiva, que matasse o parasita sem matar células ou serem tóxicas para células humanas”, acrescentou.

Durante o estudo, os pesquisadores começaram a observar que, além disso, essa molécula também tinha outra vantagem: ela agia em mais de uma forma do parasita. “Conseguimos ver que essa molécula não só matava essa forma [de parasita] que estava no sangue, como matava também a forma que estava no fígado”, disse o professor.

A molécula tem conseguido, ainda, matar cepas resistentes aos principais medicamentos. Atualmente, o medicamento mais usado no tratamento da malária é a artemisina, que, embora seja eficaz, já está com os anos contados. “Embora a gente tenha tratamento para essa doença, e ele é eficaz, já temos começado a observar o surgimento de cepas resistentes a esse medicamento”, explicou Guido.

Foi então que os pesquisadores descobriram outra vantagem da molécula. “Conseguimos ver que a malária, por ser um parasita que já está aqui há bastante tempo, consegue gerar resistência aos medicamentos atualmente em uso. Por isso, precisamos de novos tratamentos. Então, testamos contra cepas resistentes do parasita, aquelas que não são mais sensíveis ao medicamento. E conseguimos mostrar que essa molécula também conseguia matar esses parasitas resistentes.”

Desse modo, ressaltou Guido, há uma molécula potente para matar o parasita, que matava o resistente e era bastante seletiva.

Testes

Até agora, os estudos foram feitos em laboratório e testados também em camundongos afetados pela malária. Os estudos têm se concentrado na malária causada pelo protozoário Plasmodium falciparum. “O grupo não tratado [de camundongos doentes] morria por volta dos 15 ou 20 dias. E os camundongos que foram tratados sobreviveram durante os 30 dias de experiência, mostrando que a molécula era bastante tolerada pelo organismo e não chegou a ser tóxica. E o grupo tratado, além de ter sobrevivido durante esse período de estudo, tinha redução da carga de parasita no sangue”, destacou o professor, ao falar sobre o resultado dos testes em animais.

Ainda são necessárias várias etapas – e anos de estudo e de testes – para que o medicamento seja testado em humanos e produzido. Os estudos, até agora, foram desenvolvidos com a forma mais letal da malária e ainda é preciso avaliar com outras formas do protozoário, como o Plasmodium vivax, mais prevalente no Brasil. “Não publicamos esses resultados ainda, mas conseguimos ver que essa molécula consegue matar o vivax também.”

De acordo com Guido, outra etapa necessária é desenvolver a parte farmacocinética do projeto – a reação do organismo ao medicamento, ou seja, melhorar as características desta molécula para que ela possa ser administrada via oral. “Ela tem que entrar no nosso organismo, ser absorvida pelo intestino e ser distribuída - porque o parasita está em toda a corrente sanguínea, ser metabolizada, eliminada, excretada. Estamos melhorando essas características das moléculas.”

“Se conseguir isso, aí se teria um candidato pré-clínico e só então chegaríamos aos estudos clínicos”, acrescentou o professor. Ele lembrrou, porém, que todos esses processos e etapas ainda podem fazer com que sejam necessários entre 10 ou 15 anos até que o medicamento seja produzido.

A malária

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Segundo o Ministério da Saúde, qualquer pessoa pode contrair malária, mas a cura é possível se a doença for tratada em tempo oportuno e de forma adequada. Contudo, a malária pode evoluir para forma grave e para óbito. 

Os sintomas geralmente associados à malária são febre alta, calafrios, tremores, sudorese e dor de cabeça, que podem ocorrer de forma cíclica. Muitas pessoas sentem náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite.

A doença mata, atualmente, cerca de 445 mil pessoas a cada ano, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Dividindo esse número pelo de minutos no ano, percebemos a razão de [quase] uma morte [por malária] a cada minuto”, destacou Guido. A malária é a parasitose que mais mata no mundo. “Se não fizermos nada hoje, daqui a alguns anos vai matar muito mais”, acrescentou.

A maior parte das mortes ocorre na África, e a maioria é de crianças. De acordo com o professor, entre as pessoas que morrem, 75% são crianças. “Então, esse estudo tem um impacto social imenso”, afirmou.

Informações Agência Brasil

0 compartilhados
Publicidade

Publicidade

PRINCIPAIS

Cotidiano 22/07/2018 ás 20:32h
Esporte 22/07/2018 ás 19:33h
Esporte 22/07/2018 ás 19:05h
Esporte 22/07/2018 ás 18:52h
Esporte 22/07/2018 ás 18:42h
Cotidiano 22/07/2018 ás 18:23h
Esporte 22/07/2018 ás 18:08h
Campos Gerais 22/07/2018 ás 17:51h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 17:31h
Cotidiano 22/07/2018 ás 15:42h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 15:20h
Cotidiano 22/07/2018 ás 14:37h
Publicidade

LIVES RECENTES

ao vivo | 20/07/2018 ás 17:51h

Expoleite terá 300 animais da raça Holandesa, caminhoneiro sob ameaça e mais

ao vivo 20/07/2018 ás 16:12h
ao vivo 20/07/2018 ás 15:03h
ao vivo 20/07/2018 ás 14:14h
Publicidade

PONTA GROSSA

Ponta Grossa | 22/07/2018 ás 13:10h

Loja especializada em moda universitária inicia atividades em PG

Ponta Grossa 22/07/2018 ás 11:58h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 11:00h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 08:30h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 08:08h
Ponta Grossa 22/07/2018 ás 07:57h

COTIDIANO

Cotidiano | 22/07/2018 ás 11:20h

Governos do Brasil e da Tunísia ampliam parceria em turismo e comércio

Cotidiano 22/07/2018 ás 10:00h
Cotidiano 22/07/2018 ás 09:40h
Cotidiano 22/07/2018 ás 09:20h
Cotidiano 22/07/2018 ás 09:18h
Cotidiano 22/07/2018 ás 09:00h
Publicidade

VÍDEOS

Vamos Ler | 21/07/2018 ás 16:00h

Soldado dá entrevista após formatura do Proerd em Castro

Ponta Grossa 21/07/2018 ás 08:08h
Ponta Grossa 20/07/2018 ás 15:05h

CAMPOS GERAIS

Campos Gerais | 22/07/2018 ás 14:00h

PM prende dois acusados de roubo no centro de Castro

Campos Gerais 22/07/2018 ás 10:46h
Campos Gerais 21/07/2018 ás 16:59h
Campos Gerais 21/07/2018 ás 16:42h
Campos Gerais 21/07/2018 ás 10:17h
Campos Gerais 21/07/2018 ás 08:35h

MIX

Mix | 21/07/2018 ás 02:17h

Ionan conta para Beto/Miguel o que esconde

Mix 19/07/2018 ás 20:00h
Mix 19/07/2018 ás 16:41h
Mix 18/07/2018 ás 16:40h
Mix 18/07/2018 ás 02:52h
Mix 18/07/2018 ás 02:17h

VIDEOS RECOMENDADOS

Publicidade

ESPORTE

Esporte | 22/07/2018 ás 13:30h

Paraná enfrenta América-MG para reverter momento negativo

Esporte 22/07/2018 ás 12:45h
Esporte 22/07/2018 ás 12:20h

INSANA

Insana | 20/07/2018 ás 11:07h

Estátua de Virgem Maria 'chora' azeite em igreja

Insana 18/07/2018 ás 13:02h
Insana 09/07/2018 ás 11:35h
Insana 27/06/2018 ás 12:17h
Insana 21/06/2018 ás 13:39h
Insana 21/06/2018 ás 13:14h
Publicidade

VAMOS LER

Vamos Ler | 21/07/2018 ás 16:00h

Soldado dá entrevista após formatura do Proerd em Castro

AGRONEGÓCIO

Agronegócio | 14/07/2018 ás 19:56h

Contratação do crédito agropecuário aumentou 13%

Publicidade

ROMULO CURY

ao vivo | 20/07/2018 ás 17:51h

Expoleite terá 300 animais da raça Holandesa, caminhoneiro sob ameaça e mais

BOM DIA ASTRAL

Bom Dia Astral | 21/07/2018 ás 01:14h

Bom Dia Astral: Confira seu horóscopo para este sábado (21/07)

EMPREGOS

Empregos | 20/07/2018 ás 01:59h

Vagas na Agência do Trabalhador para sexta-feira (20/07)

Publicidade

MAIS LIDAS

Ponta Grossa | 19/07/2018 ás 08:07h

Rangel escapa por pouco de acidente grave em rodovia

Ponta Grossa 16/07/2018 ás 09:07h
Ponta Grossa 18/07/2018 ás 15:20h
Ponta Grossa 19/07/2018 ás 07:52h
Ponta Grossa 19/07/2018 ás 13:59h
Publicidade