Richa defende desembarque do PSDB do governo Temer

Cotidiano

11 de julho de 2017 15:19

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Temer diz na Argentina que a população entenderá aumento do PIS/Cofins

Avião faz pouso forçado em cidade do interior do PR

Mega-Sena de R$ 78 mi faz apostador sonhar acordado

Júri condena pais por assassinato da filha de quatro anos
Ônibus tomba após bater contra carro do Uber na CIC
Morador leva tiro ao reagir assalto na frente de casa
População entenderá aumento de imposto, diz Temer
Governador do Paraná acredita que não existem mais condições do partido continuar na base do Governo/Imagem: Divulgação / PSDB
PUBLICIDADE

O governador Beto Richa voltou a defender nesta terça-feira (11) a independência do PSDB em relação ao governo do presidente Michel Temer (PMDB). A PGR (Procuradoria Geral da República) denunciou Temer por corrupção e a Câmara dos Deputados decidirá sobre a admissibilidade do pedido que, se aprovado, será encaminhado para julgamento pelo Superior Tribunal Federal. "O que defendo é a independência do partido, algo que já ocorre na prática", disse Richa que participou na noite de segunda-feira, 10, de encontro de lideranças tucanas em São Paulo.

Além de Richa, participaram da reunião 16 lideranças do partido, incluindo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; o prefeito de São Paulo, João Doria; os senadores Aécio Neves (MG) e José Serra (SP) e mais quatro governadores: Geraldo Alckmin (SP), Marconi Perillo (GO), Pedro Taques (MT) e Reinaldo Azambuja (MS). 

Troca de deputados

Beto Richa destacou que o PSDB não efetuou qualquer troca de deputados na CCJ como aconteceu com outros partidos da base do governo Temer. A comissão deve votar até a semana o pedido da PGR. "É só ver o que está acontecendo na CCJ. Os deputados do PSDB estão com total independência para votar, não haverá trocas. A expectativa é que de 6 votos a 1 ou no máximo, 5 votos a 2 em favor da admissibilidade. Já é uma prova da independência do partido em relação ao governo", disse.

Richa refuta troca de cargos

Richa disse ainda que o "PSDB não está atrás de cargo" ao responder à imprensa se os tucanos vão entregar os cargos no governo Temer. "Lá atrás ficou claro que o PSDB não estava atrás de cargos, não indicou ninguém ao presidente para compor o ministério. O PSDB se achou responsável em garantir governabilidade e a votação das propostas, projetos e reformas fundamentais para o Brasil. Disso, não abrimos mão", disse. 

Segundo Richa, o PSDB não age de forma demagógica "pensando na próxima eleição". "Somos muito responsáveis e o PSDB vai continuar contribuindo para os avanços que o Brasil precisa, de forma independente como sempre pautou em relação ao governo do presidente Temer", completou.

As informações são da assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização