Torcedor espancado queria confrontar adversários, diz polícia

Cotidiano

19 de junho de 2017 08:05

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Grande operação contra o crime é deflagrada no PR

Polícia cria perfil falso e forja encontro para prender foragido

Ação da Guarda Municipal em Curitiba gera polêmica

Recém-nascida tem o braço arrancado por animais
Vaccarezza é preso na Lava Jato e será levado para Curitiba
Planalto irá punir 40 deputados que votaram contra Temer
Identificado suposto autor do atentado em Barcelona
Suspeito de participar das agressões foi preso durante o jogo no meio da torcida do Coritiba | Divulgação/Sesp/
PUBLICIDADE

Uma equipe da Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe) prendeu em flagrante um rapaz de 24 anos suspeito pelo crime de tentativa de homicídio contra um torcedor do Corinthians, na manhã deste domingo (18), no bairro Alto da Glória, em Curitiba.

Em uma rápida ação, a polícia localizou o rapaz no meio de uma torcida organizada do Coritiba, ainda durante o primeiro tempo da partida contra o time paulista, iniciada às 11 horas. Ele foi identificado como João Carlos de Paula. Integrante da torcida organizada Império Alviverde, o rapaz não possuía antecedentes criminais e responderá pelo crime de tentativa de homicídio, cuja pena varia de oito a 20 anos de prisão.

"Ele aparece nas imagens analisadas pela equipe da Demafe desferindo golpes com os pés contra a cabeça da vítima, um homem de 29 anos, que estava caída no chão e não pode se defender", falou o delegado responsável pelas investigações, Clóvis Galvão.

O delegado acrescentou que, a partir do cadastro já disponível na Demafe, foi possível a rápida identificação do responsável pelas agressões. Na delegacia, o suspeito confessou a autoria do crime. Há, pelo menos, outros sete agressores. Na sequência das investigações eles serão identificados e indiciados no inquérito policial já instaurado.

De acordo com a polícia, a vítima desceu do ônibus, que estava estacionado ao lado do Estádio Major Antônio Couto Pereira, com a intenção de confrontar a torcida organizada adversária, quando foi alcançada pelos rivais e agredida.

Organização

O secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná, Wagner Mesquita, ressaltou o trabalho prévio desencadeado pelas forças policiais a cada jogo. “É feito um rigoroso planejamento preventivo e ostensivo. A Polícia Militar é responsável pela interlocução com todas as torcidas organizadas, que são recebidas em pontos pré-determinados na capital, escoltadas e desembarcadas no estádio”, afirma.

Neste domingo, foram cerca de 50 os ônibus da torcida visitante. “Entretanto, três ônibus e uma van do Corinthians não acataram as ordens e fizeram um trajeto diferente do que havia sido acordado com a polícia, desembarcando muito próximo da torcida rival”, disse Mesquita. Ainda segundo o secretário, a troca de informações com a polícia de São Paulo, a respeito das torcidas, foi intensificada.

Já outros 38 ônibus vindos de São Paulo e oito coletivos de torcedores corintianos de Curitiba tiveram escolta da PM e chegaram ao estádio sem imprevistos, segundo informações do comandante do 12º Batalhão da PM, tenente-coronel Wagner Lúcio dos Santos.

Registros

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram seis os feridos atendidos neste domingo, relacionados ao jogo de futebol. A orientação é que essas pessoas procurem a Polícia Civil para prestar queixa, diretamente na sede da Demafe ou pelo telefone (41) 3326-3600.

Por posse de drogas para consumo, outras três pessoas encaminhadas para a delegacia. O trio assinou termo circunstanciado e foi liberado.

Informações Agência Estadual de Notícias.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização